Itamaraty critica legalização de ocupações na Cisjordânia | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 12.02.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Itamaraty critica legalização de ocupações na Cisjordânia

Brasília divulga nota condenando a aprovação de assentamentos recentemente aprovados pelo Parlamento de Israel. "O Brasil apoia uma solução de dois Estados para o conflito", diz o texto.

O Ministério das Relações Exteriores divulgou uma nota neste domingo (12/02) condenando a aprovação de assentamentos israelenses na Cisjordânia recentemente aprovados pelo Parlamento de Israel. Para o Itamaraty, a expansão territorial dos assentamentos representa um obstáculo à paz e não contribui para a solução do conflito entre israelenses e palestinos.

"O Brasil tem consistentemente apelado às partes para que se abstenham de usar a violência e de promover atos de provocação que os afastem ainda mais da solução de dois Estados", diz a nota usando a expressão "solução de dois Estados", em uma referência ao reconhecimento brasileiro ao Estado Palestino.

O Ministério das Relações Exteriores destacou, ainda, que "o Brasil apoia uma solução de dois Estados para o conflito entre Israel e Palestina que esteja de acordo com o direito de autodeterminação do povo palestino e as preocupações de segurança de Israel".

O Parlamento de Israel aprovou na última segunda-feira (06/02) uma lei que legaliza, de maneira retroativa, cerca de 4 mil casas em assentamentos construídos em terras privadas palestinas no setor C da Cisjordânia, sob completo controle israelense, ocupado desde 1967. A aprovação da legislação foi mais um golpe na tentativa de alcançar a paz na região.

Leia mais