1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Itália quer se vingar da Coréia de 2002 em jogo contra Austrália

Itália e Austrália fazem confronto inédito, em partida válida pelas oitavas da Copa. Apesar disso, o jogo em Kaiserslautern deverá ter clima de vingança do lado italiano.

default

Técnico australiano eliminou Itália em 2002 e quer repetir o feito

Gus Hiddink de novo. Esse é o pensamento que deve estar na cabeça dos italianos, no aguardo do confronto com Austrália pelas oitavas, nesta segunda-feira (26/06). Isso porque em 2002 o treinador holandês foi responsável pela eliminação da Itália da Copa, na mesma fase da competição. No entanto, na ocasião, Hiddink comandava a Coréia do Sul. Nesta edição, ele senta no banco dos chamados "socceroos".

O goleiro da Itália, Gianluigi Buffon, está convencido que a seleção não sofrerá outra humilhação do holandês e não vai encarar a partida como revanche pessoal contra Hiddink. "É um técnico excelente, sabemos, e o resultado que obteve fala por si só", afirmou Buffon.

Por outro lado, o técnico da Itália, Marcello Lippi, disse que não está sendo enganado pelo que chamou de "falsa modéstia" da Austrália. Hiddink havia dito que a Itália era "100% favorita", enquanto o zagueiro da equipe Lucas Neil chamou o jogo de "Davi x Golias".

Precaução

WM 2006 - Italien - USA Spielszene Rote Karte für Eddie Pope

Itália entra como favorita

Na primeira fase da Copa, a Itália se classificou em primeiro no Grupo E, de forma invicta, com sete pontos. Para aumentar a confiança, o time não terá apenas um jogador. Machucado, o zagueiro Nesta foi vetado e dá lugar a Materazzi. Isso sem contar com o volante De Rossi. Suspenso por quatro partidas, ele só voltará ao Mundial se a equipe chegar ao menos à semifinal.

Precavido, Lippi pôs a sua equipe para treinar pênaltis. No ataque, o único confirmado é Gilardino. Luca Toni perdeu espaço e Iaquinta parece ser a primeira opção do técnico. Mas não está descartada a presença de Camoranesi como volante, o que deixaria Gilardino isolado na frente. No meio-campo, Totti segue como principal armador do time.

Jogo físico

A Austrália está planejando lançar uma investida física para conter a Itália em seu confronto. "Nós somos uma seleção de força física, de qualquer maneira, não desistimos de divididas. Somos conhecidos por não termos medo de dividir", disse o capitão, Mark Viduka. "Acredito que estamos muito, muito bem preparados como um time. Temos jogadores, especialmente em nosso meio-campo, que podem correr o dia todo e acredito que os times estão achando muito difícil lidar com isso".

O que mais conta na Austrália é a empolgação. A equipe passou a duras penas no Grupo F, conseguindo a segunda vaga ao fazer quatro pontos, ficando atrás apenas do Brasil.

ITÁLIA x AUSTRÁLIA

Data: 26/06/2006 (Segunda-feira)

Local: Fritz-Walter-Stadion, em Kaiserslautern

Horário: 17h (12h de Brasília)

Árbitro: Medina Cantalejo (Espanha)

Auxiliares: Victoriano Carrasco e Pedro Hernandez (ambos espanhóis)

Itália

Buffon; Zambrotta, Cannavaro, Materazzi e Grosso; Gattuso, Pirlo, Perrotta e Totti; Gilardino e Iaquinta (Camoranesi).

Técnico: Marcello Lippi

Austrália

Schwarzer; Bresciano, Neill, Moore e Chipperfield; Grella, Culina, Cahill, Sterjovski e Aloisi; Kewell e Viduka.

Técnico: Guus Hiddink

Leia mais