1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Israelenses matam palestinos após ataques

Três atentados a faca contra israelenses ocorrem na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental. Escalada de violência na região já matou mais de 40 palestinos e sete israelenses nas últimas semanas.

Três palestinos foram mortos neste sábado (17/10) na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, depois de terem atacado israelenses, em meio à onda de violência que atinge a região. Os ataques ocorreram em diversos locais dentro de um breve intervalo de tempo.

O primeiro ataque ocorreu em Hebron, na Cisjordânia. Segundo as Forças Armadas de Israel, um jovem palestino, identificado como Fadel al-Kawatsmi, de 18 anos, foi morto por um colono israelense, após ameaçá-lo com uma faca.

Pouco tempo depois, também na Cisjordânia, um palestino tentou esfaquear uma policial, que ficou ferida. Para se defender, ela atirou no autor do atentado, que morreu em seguida.

Mais tarde, um homem atacou a faca policiais que queriam revistá-lo num posto de controle em Jerusalém Oriental e foi morto pela polícia. Segundo as autoridades, o palestino se comportou de forma suspeita.

A escalada de violência nas últimas semanas já matou mais de 40 palestinos e sete israelenses. O atual conflito, o mais grave em anos, foi iniciado em parte pela ira dos palestinos sobre o que eles veem como uma invasão judaica da mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém, local que também é considerado sagrado pelos judeus. Israel afirma estar mantendo o status quo no complexo religioso.

Forças de segurança israelenses começaram na quarta-feira a instalar

postos de controle

em bairros de Jerusalém Oriental, e mais de 600 soldados começaram a controlar acessos a bairros árabes da cidade, epicentro da onda de violência que elevou temores de uma nova Intifada.

Há exatamente uma semana, um dos líderes do Hamas, que controla a Faixa de Gaza, Ismail Haniyed, convocou uma terceira Intifada. Nesta sexta-feira, ele afirmou que a rebelião deveria ser expandida.

Encontro entre Kerry e Netanyahu

Perante a intensificação do conflito, os Estados Unidos reforçaram seus esforços para diminuir a violência na região. Nesta sexta-feira, o secretário de Estado americano, John Kerry, conversou por telefone com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e com presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas.

Segundo diplomatas, Kerry e Netanyahu conversaram sobre a possibilidade de um encontro na Europa nos próximos dias. O primeiro-ministro estará em Berlim na quarta-feira. A relação entre os EUA e Israel anda há tempos estremecida, e a tensão aumentou diante a onda de violência.

O Departamento de Estado americano acusou tanto israelenses, quanto palestinos de promoverem atos terroristas e afirmou que os dois lados estão fazendo uso "excessivo da violência".

CN/lusa/dpa/afp/rtr

Leia mais