Irmão de suspeito de terrorismo fala em vingança | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 15.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Irmão de suspeito de terrorismo fala em vingança

Depois do suicídio de Jaber al-Bakr numa prisão alemã, seu irmão Alaa sugere retaliação. Em entrevista exclusiva à DW, ele ameaça os refugiados sírios que entregaram o suspeito de terrorismo à polícia da Saxônia.

default

Alaa al-Bakr diz em entrevista que seu irmão foi morto pela polícia

Em entrevista à DW neste sábado (15/10), o irmão do suspeito de terrorismo Jaber al-Bakr, que se suicidou numa prisão alemã, sugeriu retaliação contra os refugiados sírios que entregaram Jaber à polícia da Saxônia.

"Como árabe, minha reação é vingança", afirmou Alaa al-Bakr ao apresentador da DW Jaafar Abdul-Karim. Ao ser solicitado a esclarecer o que queria dizer, ele disse: "Você entendeu. Eu não tenho mais nada a dizer sobre isso. Eu virei como refugiado."

Jaber al-Bakr, de 22 anos, foi amarrado e entregue à polícia em Leipzig na última segunda-feira por três refugiados sírios, que desde então são vistos como heróis. De acordo com o relatado, eles teriam convidado o fugitivo para ficar no apartamento deles, mas logo depois descobriram que Jaber estava sendo procurado pela polícia.

Na entrevista, o irmão do suspeito de terrorismo, que foi encontrado morto numa cela após cometer suicídio, disse estar convencido da inocência de Jaber. "Eu o criei. Eu sei como ele é. Ele não é um terrorista", declarou.

Segundo Alaa, Jaber lhe contou que alguns imãs em Berlim haviam tentado radicalizá-lo. "Na Alemanha, eles tentaram fazer uma lavagem cerebral nele por um tempo" , disse, acrescentando que "é importante saber que isso foi somente por um curto período de tempo e que eles não conseguiram. Se eles tivessem conseguido, ele teria voado para a Síria e nunca teria voltado."

Deutschland ehemaliges Fahndungsfoto des Syrers Dschaber Al-Bakr

Jaber al-Bakr foi encontrado morto em sua cela após cometer suicídio

"Eu garanto que Jaber não era terrorista e não é membro do 'Estado Islâmico'", insistiu Alaa, que pediu à polícia alemã para que devolva o corpo do irmão e anunciou também que vai tomar medidas contra a polícia da Saxônia. "A polícia alemã o matou", disse. "Eu quero processar a polícia na Alemanha, no estado da Saxônia."

Alaa tem 30 anos de idade, é casado e mora com os pais e sete irmão em Rif Dimashq, próximo a Damasco. Segundo Alaa, seu irmão é um mártir de quem a família está orgulhosa.

Ataque frustrado

Durante uma operação de busca no apartamento de Jaber em Chemnitz no último sábado – quando o suspeito conseguiu fugir – a polícia encontrou 1,5 quilo de TATP. O explosivo caseiro é o mesmo utilizado pelos terroristas responsáveis pelos atentado de Paris, em novembro, e de Bruxelas, em março.

Depois de uma caçada de dois dias, ele foi entregue à polícia pelo compatriotas, mas cometeu suicídio em sua cela na última quarta-feira. Jaber chegou à Alemanha em 2015 e ganhou asilo depois de passar por controles de segurança. Os investigadores afirmaram acreditar que ele foi motivado pelo "Estado Islâmico" e pode ter se radicalizado na Alemanha.

Hans-Georg Maassen, chefe do Departamento de Proteção à Constituição, o serviço de inteligência interna na Alemanha, afirmou que Jaber estaria preparando um atentado contra um aeroporto berlinense dentro de dias. O plano frustrado renovou o foco na segurança depois que a Alemanha recebeu 890 mil refugiados no ano passado, a maioria da Síria.

CA/dw

 

Leia mais