1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Irlandês deverá presidir Parlamento Europeu

O atual líder da bancada do Partido Liberal, Patrick Cox, que deverá ser escolhido pelos 626 parlamentares em Estrasburgo, promete tirar o monopólio de decisões das mãos de conservadores e social-democratas.

default

Patrick Cox, provável futuro presidente do Parlamento da UE

Patrick Cox, 49 anos, deverá ser eleito nesta terça-feira (15) o novo presidente do Parlamento Europeu. Líder da bancada do Partido Liberal, Cox anunciou seus propósitos de realizar uma ampla reforma na estrutura do Parlamento Europeu, além de acusar conservadores e social-democratas de alimentarem um "pólo duplo de poder", que já vem se perpetuando por décadas. O monopólio de decisões entre as duas grandes facções teria, segundo Cox, impedido mudanças reais no cenário político europeu.

Cox é o favorito entre os cinco candidatos à sucessão da atual presidente do Parlamento Europeu, a francesa Nicole Fontaine, e deverá ser eleito pelos 626 deputados em Estrasburgo. Os outros concorrentes são o inglês do Partido Trabalhista, David Martin, o deputado francês do Partido Verde, Gérard Onesta, o comunista francês Francis Wurtz e o dinamarquês Jens-Peter Bonde, conhecido por sua aversão à política monetária do euro.

Patrick Cox deverá, no entanto, arrebatar a maioria dos votos por contar com o apoio do Partido Popular Europeu, a facção de maior representação na casa (com 232 deputados), além de receber alguns votos de parlamentares verdes, interessados na escolha de um candidato de um pequeno partido para o cargo. A eleição de Cox deverá trazer após longos anos um partido de partido de pequeno porte à presidência do Parlamento da UE.

Eficiência e novos países - Uma das principais tarefas do irlandês é reduzir ao máximo os longos rituais que envolvem as votações no Parlamento da UE, além de preparar o ingresso gradual de mais dez nações à União Européia. Os primeiros países a serem aceitos na UE podem passar a fazer parte da organização antes mesmo das próximas eleições do Parlamento, agendadas para meados de 2004. Cox pretende ainda tirar das mãos dos dois grandes partidos o direito de eleger os presidentes das Comissões do Parlamento.

Menos verbas - Um dos propósitos mais difíceis do político do Partido Liberal é, no entanto, conseguir despachar o novo estatuto do Parlamento Europeu, que vem sendo debatido há anos pela casa. Tentativas de tornar o trabalho dos partidos políticos mais transparente e enxugar as verbas destinadas às despesas dos parlamentares fracassaram diversas vezes nos últimos anos.

O Parlamento Europeu, eleito diretamente desde 1979, tem aumentado sensivelmente seu poder de atuação nos últimos anos. Cox, ex-jornalista de TV e professor de Economia, é considerado um defensor enérgico de uma política de integração dos países da UE.

Links externos