1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Iraquianos protestam contra presença militar turca em seu país

Os 150 soldados estariam apenas protegendo treinadores turcos para a libertação de Mossul do EI, alega Ancara. Iraque apela para a ONU. Rússia toma partido pela "integridade territorial iraquiana".

default

Manifestantes incendeiam bandeiras da Turquia em Bagdá

Milhares de iraquianos protestaram neste sábado (12/12) contra o estacionamento de tropas da Turquia numa base próxima à metrópole de Mossul, no norte do país. No centro de Bagdá, pelo menos 4 mil manifestantes foram às ruas; em Basra vários milhares também se reuniram.

Alguns dos participantes queimaram bandeiras turcas, ameaçaram os soldados do país de atos violentos. Adeptos de um grupo xiita portavam faixas dizendo: "Morte à Turquia, morte para Erdogan".

Numa tentativa de achar uma solução diplomática, o governo do Iraque apelou à Organização das Nações Unidas para que intervenha no conflito. O Conselho de Segurança da ONU precisa ordenar a retirada imediata e incondicional das tropas, já que a Ancara estaria cometendo uma "grave transgressão" da Carta das Nações Unidas e dos princípios do direito internacional, argumenta Bagdá.

Türkei Soldaten Kurdengebiet

Soldados turcos na região curda do Iraque

O contingente em questão é de 150 homens e pelo menos 50 tanques blindados. Segundo o governo do presidente Recep Tayyip Erdogan, os soldados protegeriam os turcos que estão treinando os combatentes iraquianos com o fim de retomar Mossul, ocupada desde 2014 pela milícia jihadista do "Estado Islâmico" (EI). O Iraque nega haver pedido tal ajuda, enfatizando que a presença das tropas turcas estaria violando seu território soberano.

Também neste sábado Moscou declarou que apoia a integridade territorial do país árabe. O ministro russo do Exterior, Serguei Lavrov, conversou sobre a mobilização ilícita com seu homólogo iraquiano, Ibrahim al-Jaafari. As relações entre a Turquia e a Rússia acusam tensão crescente, desde o

abate de um caça russo pelas Forças Armadas turcas

, em 24 de novembro.

AV/dpa,afp,rtr

Leia mais