1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Vida sob sanções

Iranianos protestam contra desvalorização do rial

Uma rápida queda no valor da moeda iraniana frente ao dólar resultou em confrontos entre polícia e manifestantes na capital Teerã. Cambistas foram presos acusados de especulação financeira.

A moeda iraniana, o rial, caiu pelo menos 40% em relação ao dólar nos últimos dias, causando elevação nos preços e pânico entre a população. Na semana passada, o dólar americano valia 24 mil riais, nesta quarta-feira (03/10) a cotação já era de 36 mil riais para um dólar.

Manifestantes foram às ruas para protestar contra as medidas tomadas pelo governo de Mahmoud Ahmadinejad, a quem acusam de ter agravado a crise. O presidente culpou as sanções impostas pelos países ocidentais pelos distúrbios.

Os manifestantes entraram em confronto com a polícia de choque, que usou gás lacrimogêneo para dispersar o protesto e também prendeu cambistas. Numa medida emergencial para reprimir o comércio de moeda estrangeira, as autoridades ordenaram a ação das forças de segurança contra o que chamaram de "especuladores".

Iran Protest Währung

Manifestantes acusam Ahmadinejad de agravar a crise

O rial vem atingindo níveis recordes de baixa em relação ao dólar quase diariamente desde que as sanções impostas pelas economias ocidentais contra o Irã em função de seu programa nuclear reduziram os ganhos com a exportação de petróleo e minaram a capacidade do Banco Central iraniano de sustentar a moeda.

Iranianos em pânico correram para comprar moedas estrangeiras mais estáveis, pressionando ainda mais a queda do rial, cujas baixas têm encarecido o custo de vida e ameaçado empregos.

Comerciantes afirmam que fazer negócios tem se tornado praticamente impossível, e as famílias iranianas enfrentam uma escalada no preço dos alimentos. Segundo estimativas, a inflação anual já chega a 25%.

Um porta-voz do Grande Bazar de Teerã disse que o mercado foi fechado pela preocupação dos lojistas com a segurança, mas deve reabrir nesta quinta-feira.

FF/rtr/dpa/afp
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais