1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Irã confirma disposição para diálogo em Conferência de Segurança de Munique

Programa nuclear iraniano foi destaque do último dia do encontro. Após reunião com secretário de Estado dos EUA, John Kerry, ministro do Exterior do país reafirmou intenção de buscar um acordo.

default

Zarif confirmou disposição de Teerã de conversar com Ocidente

O programa nuclear iraniano foi tema de destaque neste domingo (02/02), último dia da Conferência de Segurança de Munique. Após reunião com o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, o ministro do Exterior do Irã, Mohammad Javad Zarif, reafirmou a intenção de Teerã de levar adiante as conversas para tentar uma solução para a disputa. Já Kerry assegurou que as sanções americanas ao país asiático ainda continuarão.

Em um sinal da amenização do clima entre Teerã e o Ocidente, o ministro iraniano se reuniu não apenas com Kerry, mas também com os demais ministros do grupo dos 5+1, composto pelos cinco países com poder de veto no Conselho de Segurança da ONU – China, EUA, França, Reino Unido, Rússia – e a Alemanha.

Oportunidade histórica

As conversas visam as negociações com início marcado para 18 de fevereiro em Viena, quando o Irã e o Grupo 5+1 tentarão, durante um período de seis meses, estabelecer um acordo interino sobre as atividades nucleares iranianas.

"O que posso prometer é que iremos às negociações com vontade política e boa fé", declarou Zarif, após seu encontro com Kerry. "Seria um desastre para todos se iniciarmos o processo para então interrompê-lo abruptamente", afirmou Zarif.

John Kerry Übersicht München Sicherheitskonferenz Bayern 2014

Conferência na capital bávara discutiu conflitos globais

Zarif aponta que ainda há falta de confiança entre todas as partes envolvidas, mas afirma que seu país está pronto a cooperar com o Ocidente e chegar a uma solução sustentável. "Uma solução não equilibrada não será sustentável", declarou. "Não aceitamos que simplesmente nos digam que não podemos ter essa tecnologia."

Segundo um alto funcionário do Departamento de Estado dos EUA, Kerry deixou claro a Zarif que "os Estados Unidos continuarão com as sanções". De acordo com a mesma fonte, Kerry destacou que o importante é poder manter algumas "conversações sinceras e que o Irã cumpra as obrigações adotadas no acordo de 24 de novembro".

"Ainda muito a ser feito"

Em novembro, um acordo histórico foi assinado, em caráter preliminar, entre o Irã, Rússia, China, Reino Unido, França, Alemanha e os EUA. No tratado, os iranianos se comprometeram a interromper alguns dos pontos mais sensíveis de seu programa nuclear em troca do alívio das sanções internacionais impostas ao país.

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, afirmou ter obtido reações "muito positivas e encorajadoras" do Irã, mas acrescentou que "ainda resta muito a ser feito".

Nos últimos anos, o governo iraniano vem insistindo que seu programa nuclear tem fins pacíficos, mas os países do Ocidente sempre desconfiaram que a intenção de Teerã seja adquirir tecnologia para construir armas nucleares.

RC/rtr/dpa/afp

Leia mais