1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Irã chama exigência dos EUA de "inaceitável"

Ministro do Exterior iraniano critica proposta de Obama de que Teerã congele programa nuclear por dez anos. Alemanha indica avanço nas conversações com o Irã, e EUA afirmam que "não existe alternativa" às negociações.

default

Ministro do Exterior iraniano, Mohammad Javad Zarif

O Irã classificou nesta terça-feira (03/03) de "inaceitável" a exigência do presidente americano, Barack Obama, de que Teerã congele suas atividades nucleares por ao menos dez anos.

"A postura de Obama [...] está expressa em palavras inaceitáveis e ameaçadoras [...] O Irã não aceitará exigências excessivas e ilógicas [...] Teerã irá continuar as negociações com as seis potências mundiais", disse o ministro do Exterior iraniano, Mohammad Javad Zarif, segundo a agência semi-oficial de notícias Fars.

Em entrevista concedida à agência de notícias Reuters nesta segunda-feira, Obama havia dito que o Irã deveria se comprometer a uma paralisação verificável de seu programa nuclear para que as negociações com as seis potências mundiais levem a um acordo.

Enquanto isso, na cidade suíça de Montreux, o secretário de Estado americano, John Kerry, e o colega de pasta iraniano Javad Zarif dão prosseguimento às conversações sobre o programa nuclear iraniano.

Também nesta terça-feira, o ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, declarou durante a Conferência da ONU sobre Desarmamento, em Genebra, que as negociações sobre o controverso programa nuclear iraniano avançaram mais neste ano do que na última década inteira.

Referindo-se às negociações entre o Irã e as seis potências mundiais, Steinmeier disse ao fórum: "As conversações entre o grupo dos países E3+3 [Alemanha, França e Reino Unido + Rússia, China e EUA] e o Irã também estão avançando bem. Eu me atreveria a dizer que, em dez anos de negociações, nunca fizemos tantos progressos como neste ano."

Pouco antes do discurso do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, perante o Congresso americano nesta terça-feira, o governo americano também rebateu as críticas de Netanyahu às negociações nucleares com Teerã.

Susan Rice, assessora de Segurança Nacional da Casa Branca, afirmou à organização lobista pró-Israel Aipac, que "não existe alternativa" às negociações com o objetivo de impedir permanentemente o Irã de desenvolver armas nucleares.

CA/afp/dpa/rtr

Leia mais