Irã avalia construção de trecho do trem magnético Transrapid | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 30.05.2007
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Irã avalia construção de trecho do trem magnético Transrapid

Empresa alemã é contratada para estudar viabilidade da linha de trem que poderia transportar até 15 milhões de pessoas por ano e ligaria Teerã à cidade santa de Mashhad. Conselho Central dos Judeus na Alemanha protesta.

default

Modelo TR 09 está pronto para o reinício dos testes em Emsland, na Alemanha

O governo do Irã avalia a viabilidade de construir no país um trecho de 850 quilômetros do trem magnético de alta velocidade Transrapid, de tecnologia alemã. A linha ligaria a capital Teerã à cidade santa de Mashhad, no nordeste do país, e serviria para o transporte de peregrinos.

Um empresa de engenharia de Munique foi contratada pelo governo iraniano para avaliar a viabilidade do projeto, que prevê o transporte de até 15 milhões de pessoas por ano. Com mais de 2 milhões de habitantes, Mashhad não apenas é a segunda maior cidade do país como é também o principal destino turístico do Irã.

O projeto sofreu fortes críticas do Conselho Central dos Judeus na Alemanha, que o classificou como um "sinal político fatal". Segundo a presidente do conselho judaico, Charlotte Knobloch, é "escandaloso" fazer negócios com "negadores do holocausto", numa referência ao presidente Mahmud Ahmadinejad.

Viagem de três horas

Transrapid Magnetschwebebahn in Schanghai

Em Xangai está a única linha comercial do mundo

O trecho entre as duas maiores cidades do Irã pode ser feito de ônibus, uma viagem que dura dois dias. Com o Transrapid, seriam no máximo três horas. Segundo a empresa de engenharia, o governo iraniano teria disponibilizado 1,5 bilhão de dólares para o financiamento inicial da obra.

"Caso o projeto se concretize, seria o maior trecho do Transrapid já planejado no mundo e um divisor de águas para a tecnologia", afirmou Harald Späth, diretor da empresa Regierungsbaumeister Schlegel, que verifica a viabilidade do projeto.

O principal objetivo do estudo é calcular o custo da obra. De acordo com Späth, o levantamento deverá estar pronto em um ano ou, no máximo, em 18 meses.

Suspensão em Xangai

Na China, o governo teria suspendido o início das obras de ampliação do único trecho comercial do Transrapid em funcionamento no mundo, o qual liga o aeroporto ao centro de Xangai. O início das obras está previsto para este ano. O trecho deverá ser ampliado até a cidade de Hangzhou, distante cerca de 170 quilômetros de Xangai.

Transrapid Zug Maglev in Schanghai China

Transrapid transporta passageiros do aeroporto ao centro de Xangai

Citando fontes do governo chinês, a agência de notícias Xinhua afirmou que a suspensão das obras se deve a temores de que a radiação eletromagnética possa causar danos à saúde da população.

Outro motivo seriam os custos cada vez mais elevados do projeto, o que estaria levando o governo chinês a reavaliar a construção. A previsão é de que a nova linha esteja funcionando em até três anos, para que possa ser utilizada durante a Expo 2010 em Xangai.

As informações foram negadas nesta quarta-feira pela Prefeitura de Xangai, que disse não ter conhecimento do cancelamento das obras. Também a Siemens e a ThyssenKrupp, fabricantes do trem magnético, disseram não terem sido informadas da possível suspensão.

Novo trem em Emsland

Sete meses depois do acidente que causou a morte de 23 pessoas, um novo trem magnético Transrapid chegou ao trecho de testes em Emsland. O modelo TR 09 poderá vir a ser usado em Munique. Mas os testes não poderão começar logo, pois o trem ainda precisa de licença para operar.

O acidente no trecho de testes do Transrapid aconteceu no último dia 22 de setembro, quando o trem colidiu contra um veículo de manutenção. A promotoria pública acredita que a causa do acidente seja erro humano. (as)

Leia mais