1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Invasor de delegacia de Paris era conhecido da polícia alemã

Homem de identidade ainda desconhecida esteve várias vezes na cadeia na Alemanha. Polícia acredita que ele agiu sozinho ao tentar invadir delegacia em Paris e não integrava algum grupo terrorista.

default

Policiais nas proximidades da delegacia atacada em Paris

O homem que

atacou uma delegacia de polícia em Paris

era um velho conhecido da polícia alemã e já esteve até mesmo várias vezes preso na Alemanha, disse o diretor da divisão de investigação da polícia do estado da Renânia do Norte-Vestfália, Uwe Jacob, neste domingo (10/01).

Ele teria sido investigado por infração da lei de armas e comércio de entorpecentes, entre outras acusações. A última morada dele no país foi o abrigo de refugiados da cidade de Recklinghausen.

O homem, que entrou pela primeira vez na Alemanha em dezembro de 2013 e que viveu de forma ilegal na França por cinco anos, usou pelo menos sete identidades. Ele também já esteve preso na Suécia e em Luxemburgo. Na Alemanha, ele se apresentou como tunisiano, marroquino e georgiano. "Não temos certeza de quem ele de fato é", declarou Jacob.

O homem chegou a Recklinghausen no início de agosto de 2015 e ainda estava na Alemanha no final do ano, acrescentou Jacob.

Nesta quinta-feira, aniversário de um ano do ataque ao semanário Charlie Hebdo, o suposto terrorista tentou invadir uma delegacia de polícia em Paris gritando "Alá é grande" e com um facão na mão. Foi morto a tiros por policiais.

Jacob disse que a polícia alemã acredita que o homem agiu sozinho, já que não há nenhum indício de que ele fazia parte de alguma rede terrorista. No quarto dele no abrigo de refugiados foram encontrados desenhos da bandeira do grupo "Estado Islâmico".

O prefeito de Recklinghausen, Christoph Tesche, disse que ficou chocado ao saber que o homem morou num abrigo de refugiados da cidade. Ele disse que vai colaborar com as autoridades responsáveis para evitar que terroristas se escondam nas instalações oferecidas pelo município.

AS/dpa/rtr

Leia mais