Invasor de casa de cartunista de Maomé é indiciado | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 02.01.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Invasor de casa de cartunista de Maomé é indiciado

O invasor da casa do cartunista Kurt Westergaard foi indiciado por tentativa dupla de homicídio. Watergaard ficou famoso como autor de charges do profeta Maomé, que provocaram protestos de muçulmanos no mundo todo.

default

Westergaard é alvo frequente de ameaças

O homem de cidadania somali que invadiu a residência do cartunista Kurt Westergaard, em Aarhus, no oeste da Dinamarca, foi indiciado por duas tentativas de homicídio. Ele invadiu a casa do desenhista, armado com um machado e uma faca, segundo informou um porta-voz da polícia na manhã de sábado (02/01).

Conhecido por suas caricaturas do profeta Maomé, Westergaard, de 74 anos, conseguiu escapar ileso. Após o invasor ter quebrado a janela de sua casa, ele se refugiou, junto com sua neta, de 5 anos, em um banheiro especialmente projetado para situações de emergência. De lá, conseguiu alarmar a polícia, que chegou dentro de poucos minutos.

Os policiais atiraram e feriram o intruso, de 28 anos, na perna e no braço. Antes de ser preso, o homem atirou seu machado contra um policial, de acordo com as autoridades.

Indiciado ficará preso

A Justiça dinamarquesa indiciou o invasor por tentativa de homicídio contra o cartunista e contra um dos policiais, atingido por um machado. O acusado permanecerá preso pelo menos até dia 27 de janeiro, conforme determinação judicial.

Angriff auf Kurt Westergaard

Polícia cercou casa do cartunista na noite do ataque

Westergaard disse, segundo a agência de notícias dinamarquesa Ritzau, que o atacante tentou quebrar com o machado a porta do cômodo onde ele se refugiara, gritando as palavras "vingança" e "sangue", entre outras. "Foi assustador: Foi muito perto, muito mesmo, mas conseguimos", disse o cartunista, segundo citação do jornal Jyllands-Posten, para o qual o desenhista trabalha. Ele foi levado ainda de madrugada para um local seguro.

De acordo com o serviço de inteligência dinamarquês PET, o somali tem contatos estreitos com os membros da liderança da rede terrorista Al Qaeda na África Oriental. O diretor do serviço secreto, Jakob Scharf, classificou o incidente como "muito sério".

Somaliano era vigiado

Conforme um comunicado do PET, o africano, que vive legalmente na Dinamarca, tem sido vigiado há algum tempo, sob suspeita de integrar uma rede terrorista e por estar associado a ameaças feitas contra Westergaard. Não está ainda claro se o homem agiu sozinho.

O jornal dinamarquês Jyllands Posten publicou, em setembro de 2005, uma série de caricaturas do profeta Maomé que causaram protestos furiosos de muçulmanos em várias regiões do mundo. Mais de 100 pessoas morreram durante as manifestações. Em muitos países islâmicos, houve apelos por um boicote contra a Dinamarca.

O cartoon de Westergaard foi o mais criticado. Ele mostrava o profeta Maomé com um turbante na forma de uma bomba. O desenhista recebeu ameaças de morte e desde então tem estado sob proteção policial.

No início de 2008, a polícia dinamarquesa deteve dois muçulmanos que supostamente planejavam um ataque contra Westergaard. Em outubro de 2009, foram presos nos EUA outros dois homens também suspeitos de planejar ataques contra o cartunista.

Autores: Ursula Kissel / Marcio Damasceno
Revisão: Simone Lopes

Leia mais