Internet possibilitou mostrar o que realmente acontecia, diz tunisiana vencedora do BOBs | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 13.04.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Internet possibilitou mostrar o que realmente acontecia, diz tunisiana vencedora do BOBs

Em entrevista à DW, a tunisiana Lina Ben Mhenni, vencedora da sétima edição do The BOBs, fala sobre o papel fundamental desempenhado pelos blogs nas recentes revoluções no mundo árabe.

default

Criado em 2007, blog esteve proibido vários anos na Tunísia

A tunisiana Lina Ben Mhenni, vencedora do The BOBs 2011, o concurso internacional de blogs promovido pela Deutsche Welle, desafiou a pressão e a censura do regime do então presidente Ben Ali para reportar ao mundo o que acontecia em seu país. Nos posts em francês, inglês e árabe, a professora da Universidade de Túnis escreve sobre o desenvolvimento social e político de seu país e sobre a repressão e a violência que marcaram os conflitos entre dezembro do ano passado e janeiro último.

Durante os protestos, ela viajou para as cidades de Sidi Bouzid e Kasrine e viu de perto as manifestações populares contra o regime. Após a queda de Ben Ali, a docente de 27 anos escreve no blog "A Tunisian Girl" (Uma garota tunisiana) sobre o difícil caminho de país rumo à democracia.

Criado em 2007, seu blog esteve proibido durante muito tempo na Tunísia e só podia ser lido no exterior. O júri a escolheu por ela ser um exemplo de coragem e engajamento contra injustiças.

Deutsche Welle : Usar seu nome verdadeiro poderia tê-la colocado em risco. Por que você não adotou um pseudônimo?

Lina Ben Mhenni: Quando se escreve para defender os direitos humanos e a liberdade de expressão, é mais confiável para quem lê quando se coloca o nome verdadeiro. Quando você convoca as pessoas para se engajarem em uma causa, elas confiam mais quando você mostra a sua cara.

Blogar parece ser um trabalho solitário. Há pessoas que te ajudaram, antes mesmo da queda do presidente Ben Ali, e que ainda estão com você?

Sim, claro. Você não consegue fazer tudo sozinho. A maioria dos que me ajudam são blogueiros. É verdade que eu tento trabalhar sozinha. Mas em várias ocasiões tenho trabalhado em conjunto com outros blogueiros, dando apoio para pessoas que sofrem com injustiças e censuras.

Fala-se muito sobre o papel da internet durante os acontecimentos na Tunísia e no Egito, e também na Líbia e em alguns países do Golfo Pérsico. Em sua opinião, como a internet influenciou e ainda influencia nestes movimentos?

A mídia tradicional não reportou completamente os acontecimentos na Tunísia. Então, inevitavelmente, a internet teve que desempenhar este papel. A internet tornou possível mostrar o que estava acontecendo e envolver as pessoas.

Gewinner der BOBs Preise Flash-Galerie

Após queda do presidente tunisiano, Ben Mhenni escreve sobre o difícil caminho rumo à democracia

No desenrolar dos acontecimentos, falou-se muito sobre você. Você recebeu propostas de se engajar na política?

Não, na verdade não. Já tentamos quando Ben Ali ainda estava no poder. Mas eu disse muito claramente: continuarei independente. Não tenho interesse em me engajar por um partido político.

Autor: Sébastian Martineua (msa)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais

Links externos