1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Informação no combate ao terrorismo

As ameaças de ataques terroristas na Europa são constantes. Não indiferente à situação, a Alemanha vai criar uma rede de troca de informações e um arquivo central com dados de extremistas islâmicos.

default

Segurança nacional é prioridade do governo alemão

A Europa é alvo de constantes ameaças de ataques terroristas. A organização islâmica Brigada de Abu Hafs Al-Masri, ligada a Osama bin Laden, exigiu a retirada das tropas dos países europeus que mantêm soldados no Iraque e no Afeganistão. Frases como "preparem-se para uma guerra sangrenta", "vamos produzir cascatas de sangue", revelam o tom de tais comunicados, vistos com reserva pelas autoridades, mas não ignorados.

Apesar de a Alemanha não participar de missões militares e se negar a enviar tropas para estes dois países, o país não é imune a atentados terroristas. A preocupação com a segurança nacional é e continua sendo uma das prioridades do governo alemão.

Novas alternativas

No começo de julho, o ministro Otto Schily e os secretários do Interior estiveram reunidos para discutir a elaboração de um arquivo central com dados de extremistas islâmicos. Outra proposta é a criação de uma rede de intercâmbio de informação entre os governos estaduais e federal.

O ministro do Interior pretende colocar em funcionamento ainda este ano em Berlim um departamento central para serviços de segurança com a atuação em conjunto do Serviço Federal de Informações (BND), Departamento Federal de Investigações (BKA) e do Departamento Federal de Defesa da Constituição (BfV). O objetivo é incrementar as ações das polícias estaduais propiciando uma troca mais eficiente e rápida de informações na luta contra o terrorismo.

Prioridade nacional

A meta do governo é a criação de uma rede de informação e não a formação de uma polícia de elite nacional, já que esta não seria tão eficiente quanto o intercâmbio de dados entre as polícias estaduais e os órgãos federais. "É correto obter informações de forma descentralizada, mas depois é preciso centralizar e analisar esses dados", afirmou Schily.

Mudança de postura

Tal proposta seria difícil de ser colocada em prática no passado. Anos atrás, os policiais costumavam acusar os funcionários federais de não repassarem informações. Estes, por sua vez, criticavam o fato de os policiais quase sempre acabarem uma complicada investigação com ações precipitadas.

O atentado de 11 de setembro de 2001 em solo americano provocou uma mudança na postura da Alemanha. Desde então passou a haver uma maior comunicação entre os departamentos de segurança na Alemanha, inclusive através de encontros periódicos.

Este diálogo, entretanto, ainda está aquém do esperado em um país que não é ignorado pelos terroristas. É por isso que se fala da crescente urgência em criar de um banco central de dados para armazenar informações e de uma cooperação ainda mais estreita entre os serviços de segurança, a ser viabilizada através de um único departamento.

Leia mais