1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Imprensa sul-coreana diz que naufrágio poderia ter sido evitado

Um dia após a tragédia, continuam as buscas por centenas de desaparecidos. Sobreviventes relatam que embarcação deu guinada drástica antes de inclinar. Segundo capitão, balsa afundou "de repente".

Mais de 24 horas após o naufrágio do navio sul-coreano Sewol, cerca de 300 das quase 500 pessoas a bordo estão desaparecidas. As chances de alguém ser resgatado com vida tendem para zero.

A Coreia do Sul está em choque: a tragédia que ocorreu às 9h (horário local) desta quarta-feira (16/04) é o pior desastre marítimo ocorrido no país nos últimos 20 anos. Em 1993, 292 pessoas morreram numa catástrofe com um navio sobrecarregado.

A embarcação Sewol tem capacidade para transportar 900 passageiros e, no momento do incidente, transportava pouco mais que a metade disso.

Último contato

O desastre é o assunto dominante na cobertura dos veículos de imprensa da Coreia do Sul. Imagens comoventes se espalharam pelo mundo, como a de pais olhando com desespero as listas de sobreviventes na esperança de encontrar o nome dos filhos.

Assistir ao vídeo 01:34

Poucas esperanças na Coreia do Sul

Na internet, também foram postadas mensagens telefônicas enviadas por estudantes que estavam a bordo do navio para seus pais. "Mãe, estou escrevendo porque não sei se poderei fazer isso mais tarde. Te amo", escreveu um rapaz. Uma jovem escreveu para o pai: "Papai, eu não posso cair fora daqui. O navio está muito inclinado."

Para a maioria dos estudantes que seguia no navio em uma excursão para a ilha turística de Jeju, o porão do navio foi, provavelmente, uma armadilha mortal da qual não havia escapatória. Mas por que tantas pessoas estavam dentro da balsa?

Aparentemente, segundo relatos de sobreviventes, parte da tripulação instruía os passageiros a manter a calma, em vez de dar a ordem para evacuar. "Houve um anúncio pelo alto-falante: 'Fiquem onde estão'", contou um sobrevivente de 57 anos à agência de notícias sul-coreana Yonhap. Ele próprio decidiu não obedecer. "Eu simplesmente não podia. Eu vi a água avançar rapidamente. Coloquei o salva-vidas e fui para fora". Esta decisão salvou sua vida.

Südkorea Fährunglück 17.04.2014

Parentes aguardam notícias sobre desaparecidos

Imprensa critica

As ações da tripulação do navio também são criticadas pela imprensa sul-coreana. O jornal Chosun Ilbo escreveu de forma direta: "O acidente poderia ter sido evitado" e, mais adiante, "são particularmente alarmantes as recomendações dadas pela tripulação. Os passageiros que não perderam tempo e vestiram os coletes salva-vidas sobreviveram. Muitos tripulantes e o capitão do navio se salvaram."

Questionamentos ainda estão em aberto em relação ao capitão do navio. Segundo os jornais Korea Times e Chosun Ilbo, o navio era controlado por um comandante substituto porque o de costume estava de férias. Existe a suspeita de que ele tenha seguido uma rota alternativa arriscada para chegar a tempo ao destino final.

O navio havia partido da cidade de Incheon, no norte do país, com duas horas e meia de atraso. O capitão Lee Joon Seok disse ao jornal Dong A Ilbo que a balsa "afundou de repente" e que não sabia o motivo. A embarcação não teria se chocado com uma rocha.

Possíveis causas do desastre

O Korea Herald diz que uma virada repentina pode ter sido a causa da tragédia. De acordo com relatos de tripulantes que sobreviveram, o Sewol fez uma guinada drástica. Essa é, da mesma maneira, uma suposição da Guarda Costeira da Coreia do Sul. Com isso, parte da carga poderia ter se soltado colocando o navio em perigo.

Autoridades sul-coreanas já confirmaram nove mortes. Apesar da baixa visibilidade, equipes de busca passaram a noite procurando por sobreviventes.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados