1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Imprensa internacional exalta Júlio César e critica Seleção

Argentinos dizem que Brasil expôs todas as fraquezas, espanhóis apontam que faltou recursos ao time de Felipão e ingleses afirmam que Chile deixou adversário sem saída. Para alemães, vitória foi graças a goleiro e trave.

A imprensa internacional noticiou o desfecho da

primeira partida

de oitavas de final da Copa, neste sábado (28/06), com elogios a Júlio César, criticas ao desempenho da seleção brasileira e destacando o que chamou de uma "batalha épica", que fez "as duas equipes chorarem" no Mineirão.

"Choram brasileiros e chilenos. Que susto! O Brasil eliminou o Chile nos pênaltis em uma partida que expôs todas as suas fraquezas e em que o técnico Jorge Sampaoli aplicou um nó tático", escreveu o diário argentino Olé.

O portal esportivo alemão Kicker diz que o Brasil passou "graças à trave e a Neymar" e ressalta a "intensidade" da partida no Mineirão, "mostrada desde a execução dos hinos nacionais". O Guardian, da Inglaterra, chamou a partida de uma "batalha épica" e lembrou que o Chile, em vários momentos, "deixou o Brasil sem saída em campo".

De forma parecida relatou o jogo o chileno La Tercera, segundo o qual o Chile "fez os pentacampeões sofrerem em sua própria casa"."Os chilenos mostraram que não eram exagerados os temores de Scolari (...) e podem sair orgulhos do Brasil", assinala o jornal.

O diário espanhol Marca, por sua vez, diz que foi a tarde de Júlio César, "o imperador do Brasil". O goleiro, segundo o jornal, merecia isso "desde o dia em que começaram a duvidar dele", lembrando sua falha nas quartas de final contra a Holanda, em 2010.

"Salvo o primeiro tempo, quando impôs seu ritmo, a seleção brasileira foi atormentada pelo medo e se viu sem recursos para superar a admirável equipe de Sampaoli", escreveu o Marca.

O jornal francês Le Monde diz que o Brasil conseguiu uma "classificação milagrosa": "O Brasil pode respirar, a Seleção ainda está viva." No mesmo tom noticiou o L'equipe: "O Brasil de Júlio César sofreu muito para se classificar às quartas de final de 'seu' Mundial."

A revista alemã Spiegel destacou que Júlio César "salvou a Seleção". "A partida foi emocionante, mas nem sempre de alto nível", afirma o semanário alemão. O também alemão Die Welt escreve que "o Brasil teve sorte", porque Pinilla acertou o travessão de Júlio César no fim da prorrogação.

Leia mais