1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Imprensa europeia credita vitória da Seleção à atuação de Neymar

"Dá gosto vê-lo", escreve o Spiegel Online. "Rápido, elegante, cheio de truques", elogia o "Süddeutsche Zeitung". Mas publicações veem problemas no esquema tático de Felipão.

Após a vitória por 4 a 1 contra Camarões em Brasília, nesta segunda-feira (23/06), a Seleção ganhou destaque na imprensa europeia como o time de um jogador só: o brilhante Neymar.

Na Alemanha, a versão online do jornal Süddeutsche Zeitung destaca o futebol do atacante e avalia a atuação de outros craques brasileiros como "longe do esperado" de jogadores escalados para uma Copa do Mundo.

"Apesar da significativa vitória, os brasileiros mostraram algumas fragilidades em Brasília. Felipão ficou quase toda a primeira metade do tempo do lado do campo, gesticulando para o gramado. Jogadores como Hulk, Fred, Marcelo e Dani Alves apresentaram-se longe do que se espera de uma Copa do Mundo. A equipe atacou cedo, mas, quando Camarões reagia à pressão, abriram-se enormes lacunas no meio-campo. O primeiro tempo teria sido quase equilibrado se não fosse o grande Neymar trazer alegria à nação", escreve o jornal, em matéria intitulada "Borboleta entre as lagartas".

Caso se repita na partida contra o Chile, neste sábado, o desequilibrado desempenho dos jogadores pode comprometer o avanço do Brasil no Mundial, afirma o Süddeutsche. "Ele é rápido, elegante, cheio de truques – e a imensa pressão está toda sobre ele: Neymar lidera o time brasileiro rumo às oitavas de final. Mas futebol é um esporte coletivo, e isso pode ser fatal para a Seleção contra o 'esquadrão suicida' do Chile".

O site alemão Spiegel Online também destaca o desempenho do "superstar" Neymar. E, de acordo com a publicação, os méritos do atacante não se revelam apenas no número de gols.

"Desde a noite de segunda-feira, ele lidera a lista de artilheiros do Mundial, com um gol a mais que Arjen Robben e Thomas Müller. Mas a eficiência diante do goleiro não é a razão principal para os elogios recebidos após o jogo: dá gosto vê-lo, observar como ele domina com elegância as bolas mais difíceis e como ele procura de maneira irresistível o caminho até o gol", escreve o site.

O jornal britânico The Guardian também ressalta a atuação do camisa 10 da Seleção, mas expressa desconfiança quanto ao sucesso da equipe nas próximas fases do campeonato.

"A questão parece ser não tanto se o Brasil pode ganhar a Copa do Mundo, mas se Neymar poderá trazer o título sozinho para eles. É impossível negar a sua importância para o time brasileiro, e não foi nenhuma surpresa quando Luiz Felipe Scolari o retirou, faltando 18 minutos para o fim da partida. A última coisa que o técnico do Brasil precisava arriscar era o seu melhor jogador tomar um cartão amarelo, o que o tiraria do jogo contra o Chile", considera o jornal.

Sobre a troca de Paulinho por Fernandinho, meia do Manchester City, o Guardian é categórico: "[Fernandinho] é um muitos mais dinâmico do que o decepcionante Paulinho".

O jornal francês Le Figaro critica o esquema tático de Felipão, mas elogia Neymar e a entrada de Fernandinho no segundo tempo – ele trouxe o impacto que faltava para o meio-de-campo da Seleção. "No primeiro tempo, as façanhas do ex-jogador do Santos [Neymar] não foram suficientes para esconder os pontos fracos do sistema mantido pelo técnico Luiz Felipe Scolari", ressalva o jornal.

Leia mais