1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Imposto sobre tabaco ameaça fracassar

O governo alemão está com um problema: a arrecadação com o aumento do imposto sobre tabaco é menor que o planejado. Fumantes estão comprando produtos mais baratos e o contrabando de cigarros está aumentando na Europa.

default

Fumantes optam por produtos mais baratos

Com a última etapa da elevação do imposto sobre tabaco, acertada em abril, o governo alemão planejou arrecadar cerca de 1,8 bilhão de euros a mais para o orçamento de 2004. Neste meio tempo, ele já baixou o prognóstico para um bilhão de euros. Afinal, no segundo trimestre do ano, a União recebeu 220 milhões de euros a menos desta fonte fiscal que no mesmo período do ano anterior. Em vez de a arrecadação aumentar, registrou-se um déficit de 6%.

Para não pagar caro, melhor enrolar cigarro...

Os fumantes reagiram. "Em vez de cigarros caros, os consumidores estão optando por tabaco barato", afirmou Rüdiger Parsche, do Instituto de Pesquisa Econômica, em entrevista à DW-WORLD. Desde a terceira fase da elevação do imposto sobre tabaco, os fumantes preferem enrolar seus próprios cigarros ou fumar cachimbo.

Segundo Peter Lind, diretor administrativo da Federação dos Atacadistas de Produtos de Tabaco (BDTA), os produtores de cigarros industrializados receberam 25% a menos de encomendas. Isso implica não apenas prejuízos para a BDTA, mas também para o governo alemão: "Só neste ano, pode-se contar com uma queda de um milhão de euros na arrecadação do imposto sobre tabaco".

... ou então fumar de contrabando

Na Alemanha, os especialistas contam com um aumento do contrabando de cigarro. "Até agora, Hamburgo é apenas uma estação do tráfico", explica Robert Dütsch, do Departamento de Controle Alfandegário de Hamburgo: "Cerca de 80% dos cigarros contrabandeados apreendidos são destinados ao mercado inglês. No futuro, é provavél que uma boa parte fique por aqui mesmo".

Na opinião de Rüdiger Parsche, o aumento do imposto sobre tabaco não leva necessariamente as pessoas a fumar menos ou a parar de vez. "Das outras vezes, o consumo só diminuiu por um tempo, voltando a se equilibrar logo depois." Ele considera mais provável que os fumantes mudem de cigarro e passem a comprar produtos mais baratos. "E a demanda de cigarros contrabandeados vai aumentar", prevê Parsche. O que implicaria uma queda de arrecadação ainda mais drástica.

Leia mais