Imagens 3D para preservar patrimônio sírio | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 15.03.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Imagens 3D para preservar patrimônio sírio

Mapeamento em três dimensões de monumentos sírios é esperança para preservação das construções em meio à guerra civil, ao menos em memória. Grande Mesquita de Damasco é um dos locais que já ganharam versão 3D.

default

Grande Mesquita de Damasco

Uma equipe francesa de peritos digitais vem colaborando com arqueólogos da Direção-Geral de Antiguidades e Museus Síria (DGAM) para mapear em detalhes os monumentos culturais do país ameaçados pela guerra civil, iniciada há exatos cinco anos. O banco de dados da instituição, considerado o maior registro em três dimensões do patrimônio sírio, foi divulgado na internet nesta sexta-feira (15/03).

A start-up francesa Iconem desenvolveu uma tecnologia fotogramétrica que permite ao menos preservar a memória dessas construções. "Esta solução dá a nossos sítios arqueológicos uma verdadeira esperança de renascimento e permite que a memória dele seja preservada, aconteça o que acontecer", disse o diretor da DGAM, Maamoun Abdulkarim.

Três locais já têm sua versão 3D, incluindo a Mesquita de Umayyad ou Grande Mesquita de Damasco, cuja construção foi finalizada no século 8º e que é vista por alguns muçulmanos como o quarto lugar mais sagrado do islã. Novas versões 3D de patrimônios serão publicadas a cada semana, segundo Eric Thibaut, colaborador da Iconem.

Outro lugar famoso que já foi reconstruído em três dimensões é o Krak dos Cavaleiros, castelo próximo à devastada cidade de Homs. Apesar de a construção, localizada no topo de uma montanha, ter cicatrizes, os danos sofridos durante o conflito intenso na região felizmente são limitados. O castelo está entre um dos seis locais sírios na Lista de Patrimônios Mundiais da Unesco em perigo.

"Por ora, o mapeamento tem como foco construções que ainda existem, como uma medida de prevenção", afirma Thibaut. Diferentemente de sua mesquista-irmã em Damasco, a Mesquita de Umayyad de Aleppo foi destruída em 2013 devido à guerra civil.

Arco do Triunfo de Palmira

Outra iniciativa similar, liderada pelo Instituto de Arqueologia Digital, forneceu 5 mil câmeras 3D a funcionários de ONGS e arqueólogos para reunir milhões de registros desses locais ameaçados. O banco de imagens deve ser publicado até o fim deste ano.

O objetivo é usar a maior impressora 3D do mundo para reproduzir em tamanho real do Arco do Triunfo de Palmira, na Síria, destruído pelo "Estado Islâmico" (EI) em outubro do ano passado. A reprodução deve ser exposta na Times Square de Nova York e na Trafalgar's Square de Londres.

Militantes do EI também provocaram indignação mundo afora ao destruírem os templos de Bel, do século 1º, e de Baalshamin, em Palmira, em agosto do ano passado. A Unesco lamentou a destruição de tesouros de "um dos centros culturais mais importantes do mundo antigo".

Leia mais