1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Hungria recebe número recorde de refugiados

Mais de 2 mil migrantes atravessam fronteira do membro da UE em um dia, a maioria fugindo da guerra civil síria. Chegada de refugiados à Sérvia e à Hungria dispara após Macedônia reabrir fronteiras.

O número de refugiados que atravessaram a fronteira, indo da Sérvia para a Hungria, Estado membro da União Europeia (UE), foi recorde nesta segunda-feira (24/08). Um total de 2.093 requerentes de asilo passou pelo posto fronteiriço perto da cidade húngara de Röszke, segundo a polícia húngara. Este foi o número mais alto registrado num único dia.

A maioria dos migrantes foge da guerra civil na Síria. De acordo com a agência de notícias estatal húngara MTI, a polícia levou os recém-chegados a um centro de registro nas proximidades.

A Hungria já registrou mais de 100 mil requerentes de asilo neste ano – o dobro do que em todo o ano de 2014. Em 2012, haviam sido apenas 2 mil.

Medidas severas na Hungria

O número de refugiados que chegam ao país aumentou drasticamente em agosto. Em meados de julho, o governo húngaro conservador havia dado início à construção de uma cerca de arame farpado de 175 quilômetros de extensão ao longo da fronteira sul com a Sérvia, que não pertence à UE. A cerca, de quatro metros de altura, deve ser concluída na próxima segunda. Os refugiados cruzaram a fronteira com a Sérvia num trecho que ainda não foi fechado.

O governo húngaro vem reagindo à atual crise de refugiados com medidas severas, tendo aprovado regras mais rigorosas de asilo e penalizações, em caso de travessia ilegal da fronteira. Além disso, há intenção de fechar vários centros de refugiados.

Estado de emergência na Macedônia

Os Bálcãs Ocidentais se transformaram numa das principais rotas de fuga para migrantes de países do Oriente Médio, África e sul da Ásia, que chegam com esperança de uma vida mais segura na UE.

Na semana passada, a Macedônia decidiu barrar a entrada de refugiados que vinham da Grécia. O país declarou estado de emergência e fechou suas fronteiras completamente, por não conseguir lidar com o fluxo de migrantes. No sábado, a multidão era tão grande que as autoridades tiveram que

ceder

e voltar a permitir que os refugiados entrassem no país, o que provocou a disparada do número de pessoas chegando à Sérvia e à Hungria.

Em resposta ao fluxo de refugiados, a Bulgária enviou soldados e tanques para a fronteira com a Macedônia, afirmando se tratar de uma "medida de precaução". A Bulgária teme uma grande chegada de refugiados do país vizinho, o que até agora não aconteceu.

O primeiro-ministro sérvio, Aleksandar Vucic, acusou a Grécia de deixar os refugiados passarem livremente. "É inacreditável ter que reconhecer que os migrantes entram em território da UE pela Grécia, e as autoridades, aparentemente, não sentem obrigação alguma de registrar esses refugiados", reclamou. Segundo Vucic, muitos estão chegando à Sérvia vindos da Grécia e passando pela Macedônia, sem qualquer documentação.

MD/afp/rtr

Leia mais