HUGO CHÁVEZ ASSOCIA ANGELA MERKEL AO NAZISMO | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 16.05.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

HUGO CHÁVEZ ASSOCIA ANGELA MERKEL AO NAZISMO

As declarações de Hugo Chávez referentes à chanceler alemã Angela Merkel e a viagem desta ao Brasil foram tema central dos comentários de nossos leitores esta semana. Clique aqui, vale a pena conferir!

default

Angela Merkel e Hugo Chávez

As opiniões de Hugo Chávez sobre a chanceler alemã pertencer ao mesmo bloco político que deu origem à Alemanha nazi-fascista, divulgadas na DW, só conferem ao representante da Venezuela mais evidências do despreparo de seu caráter. Além de faltar com o respeito à chanceler e, conseqüentemente, à nação alemã, aborda levianamente um tema delicado para a comunidade mundial, ao invocar a lembrança daquele período de trevas, inserindo-o em um contexto atual completamente diverso, que nada tem a ver com aquele a que se referiu.

Desde o fim da SegundaI Guerra e do declínio da URSS, a Alemanha e a Europa vivem período de liberdades democráticas, de imprensa, de pensamento, de expressão sem precedentes na história, inseridas com responsabilidade social na comunidade mundial, ao contrário da protagonizada "República Bolivariana", instaurada na Venezuela, por Hugo Chávez 1º (e tomara Deus, único) um déspota não esclarecido de nossos tempos.
Nestor Eltz

O presidente Hugo Chávez se diz de esquerda, nacionalista, anti-Busch e a favor dos pobres e excluídos. O problema é que alguns de seus métodos não servem de modelo para a esquerda a que ele diz pertencer e que defende a democracia. A recente tentativa de mudar a Constituição de seu país, para ter plenos poderes e permanecer no poder, não seria boa para a Venezuela e nem para a América Latina.
Raul Celso Grehs

Comparar Angela Merkel a Hitler é burrice sim! “Chávez, por que não te calas...“
Lyndon C. Storch Jr.

Hugo Chávez é um estorvo para o seu próprio país, a Venezuela, bem como para os demais países. Ele encarna uma política ultrapassada (uma política despótica) e interfere na vida e autonomia dos países vizinhos. O Foro de São Paulo, criado por Lula, Hugo Chávez e Fidel Castro, é o embrião na tentativa de impingir ao povo latino-americano uma ideologia falida (refiro-me ao marxismo e ao castrismo).
Elio E. Müller

Foi uma estupidez de Mr. Chávez dizer que Merkel é Hitler do século 21. Então Chávez é o Stalin da Venezuela. Ignorante, troglodita, comunista. Patético foi seu papel de crítico de governos europeus. Ele sentiu na pele ao tentar rotular o Congresso Nacional brasileiro de "Escravos dos EUA", mas não sabia que o Congresso não admite atos de populismo reacionário.

O episódio pode causar uma crise diplomática entre a estadista Angela Merkel e o comunista de brinquedo Hugo Chávez. Chávez quer se impor pela ignorância escabrosa, mas o bom senso de Merkel lhe garante maciço placar a favor, em cima de Chávez. Como diziam as personagens de um desenho animado mexicano: "Tinha que ser o Chávez, mesmo!”
Glauber Gleidson Peres

Bom dia! Quero manifestar aqui minha opinião de que não concordo com a declaração do presidente da Comissão Européia – José Manoel Durão Barroso – de que as declarações do comunista de plantão e ditadorzinho Hugo Chávez contra a chanceler federal alemã "prejudicam as relações da Europa com a América Latina". Isto porque a opinião do presidente venezuelano não representa a da América Latina.

Este governante, quando se acha "meio desaparecido" no cenário da mídia mundial, promove algumas declarações insanas e frívolas para ver se "aparece um pouco". Afinal, é a única forma que encontra de aparecer, já que é inimigo da democracia e do bom senso. Nem os próprios venezuelanos o suportam! A chanceler federal alemã Angela Merkel tem sido, de forma natural e meritória, muito admirada pela sua sobriedade e apreciação dos valores democráticos. Sendo assim, dispensa-se qualquer comentário no sentido de defendê-la.
Rudnei Marques de Siqueira

ANGELA MERKEL NO BRASIL

Na entrevista concedida á televisão aqui no Brasil, a chanceler alemã foi infeliz. Poderia ter sido mais cuidadosa ao falar sobre um tema complexo como o trabalho escravo. Não entrarei em detalhes, mas a chanceler, além de ser indelicada com seu anfitrião, mostra-se mal informada. O trabalho escravo é, sim, duramente combatido pelo atual governo. E essa mancha do Brasil tem diminuindo muito ao longo dos anos. Além do mais, existem outros fóruns para se tratar desse problema. Uma entrevista na maior emissora de televisão criticando o pais anfitrião é, no mínimo, grosseria. Oxalá, numa próxima visita, a chanceler faça valer a boa reputação da diplomacia alemã.
Marcos

Nós, brasileiros, gostamos muito dessa aproximação Alemanha-Brasil. Se eu pudesse influenciar, gostaria muito que acontecesse essa cooperação cada vez mais forte. “Stronger and stronger”. Além do meio ambiente sustentável, dos biocombustíveis, meu maior sonho seria espalhar pelo Brasil a energia eólica.
Ari Zanella