1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Homens europeus ficaram 11 centímetros mais altos em um século, diz estudo

Pesquisa analisou dados entre 1870 e 1980. Apesar de continente ter vivido duas guerras mundiais, melhorias nas condições de saúde foram responsáveis por essa evolução. Holandeses são os mais altos.

Os avanços na medicina e no setor da saúde contribuíram para que a altura média dos homens europeus aumentasse onze centímetros em cem anos, como revela um estudo da Universidade de Essex, na Inglaterra, publicado nesta segunda-feira (02/09). A grande surpresa foi o crescimento elevado no período entre guerras, justamente quando era esperada uma diminuição na estatura da população devido ao racionamento de alimentos e à pobreza.

"O aumento da estatura humana é o principal indicador de melhorias na saúde da população", afirma o economista Timothy Hatton, responsável pelo estudo. Os pesquisadores analisaram relatórios médicos e militares de homens com 21 anos de idade originários de quinze países entre os anos de 1870 e 1980.

Nesse período, houve avanços nos sistemas de saúde que contribuíram para a diminuição das doenças. Um dos efeitos foi observado na estatura média dos europeus, que passou de 1,67 metro para 1,78 metro. "As evidências sugerem que esses são os fatores mais importantes para o crescimento dos homens. O aumento da renda e da educação, além da diminuição do tamanho familiar, tiverem efeitos mais modestos nesse quesito", diz Hatton.

Em 1980, os holandeses eram os mais altos com 1,83 metro. Já os portugueses, com 1,73 metro, eram os mais baixos. A média de crescimento também variou entre os países. Na Espanha, ela foi de 12 centímetros.

Symbolbild Mann Europäer

Holandeses eram os mais altos com 1,83 metro

Entre 1871 e 1875, os espanhóis mediam cerca de 1,63 metro. Entre 1971 e 1975, a estatura passou a ser de 1,75 metro. Já na Suécia, a média, no mesmo período, ficou em 10 centímetros – de 1,70 para 1,80 metro.

Crescimento diferenciado

A maior taxa de crescimento nos países do norte, como Reino Unido, Irlanda, países escandinavos, Áustria, Bélgica e Alemanha, ocorreu no período entre as duas Guerras Mundiais e a grande depressão econômica. "Isto é surpreendente, porque esse período é anterior a maioria das grandes implementações da medicina moderna e dos sistemas nacionais de saúde", escreveram os autores.

Além da diminuição da mortalidade infantil, os pesquisadores apontam a queda na taxa de natalidade, o que provocou a redução do tamanho das famílias. Nos países mais ao sul, incluindo a França, o maior aumento ocorreu depois da Segunda Guerra Mundial.

O estudo analisou somente a estatura masculina, já que houve dificuldades de acesso a informações sobre mulheres. Outras pesquisas revelaram que, devido à industrialização, ao descobrimento e utilização de antibióticos e ampliação do sistema de saúde, os europeus cresceram mais nos últimos anos do que os africanos, latino-americanos e sul-asiáticos.

CN/dpa/rtr/afp

Leia mais