1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Homem que perdeu carteira de motorista por ser gay será indenizado na Itália

Justiça italiana manda ministérios da Defesa e do Transporte indenizar homem que perdeu sua licença para dirigir após se declarar homossexual. Valor de 20 mil euros é considerado muito baixo.

A Corte Suprema de Cassação da Itália ordenou nesta quinta-feira (22/01) que dois ministérios indenizem um jovem siciliano cuja carteira de motorista foi suspensa, dez anos atrás, por ele ser homossexual.

O tribunal afirmou que as autoridades responsáveis tiveram um comportamento claramente homofóbico no caso de Danilo Giuffrida, de 34 anos, e confirmou a decisão de uma corte de apelação da cidade de Catania, na região da Sicília, rejeitando assim apelo dos ministérios da Defesa e do Transporte contra o pagamento de uma indenização por discriminação sexual.

Inicialmente, Giuffrida teve concedida uma indenização de 100 mil euros, que foi reduzido para 20 mil euros pela corte de apelação. A Suprema Corte afirmou nesta quinta-feira que esse valor é muito baixo para uma vítima de homofobia e deve ser recalculado.

Em 2001, Giuffrida disse a médicos militares que era gay, durante exames de rotina anteriores ao serviço militar. Os militares enviaram uma cópia da declaração à autoridade responsável pelas carteiras de motorista, que revogou a licença do jovem, alegando razões médicas.

Um tribunal local ordenou que a carteira fosse devolvida a Giuffrida, dizendo que ser gay não afeta a capacidade de dirigir, uma vez que não pode ser considerada uma doença psicológica. "Preferência sexual não afeta a capacidade de alguém dirigir com segurança veículos a motor", afirma a sentença.

Com base nessa decisão, Giuffrida abriu um processo por indenização contra os ministérios da Defesa e do Transporte.

AS/ansa/ots

Leia mais