1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Homem-bomba da Al Qaeda era agente infiltrado, afirmam jornais

Homem escolhido pela Al Qaeda no Iêmen para executar ataque terrorista era na verdade um agente duplo saudita, dizem publicações americanas. Ele entregou os explosivos e repassou informações à CIA.

O recente plano de atentado da Al Qaeda foi impedido por um agente infiltrado na rede terrorista no Iêmen e que repassou informações para a CIA, reportou o jornal The New York Times (NYT) nesta terça-feira (08/05). Após candidatar-se voluntariamente para um ataque suicida, o agente deixou o Iêmen e entregou explosivos e informações aos americanos e ao serviço secreto saudita.

Segundo a agência de inteligência dos Estados Unidos, a Al Qaeda na Península Arábica (AQAP) pretendia explodir uma bomba a bordo de um avião que fazia a rota Iêmen-EUA. Tratava-se de um tipo especial de bomba, sem componentes de metal e que, por isso, dificilmente seria descoberta pela segurança aeroportuária, declarou a CIA.

De acordo com um oficial americano, o plano previa que um terrorista suicida levasse a bomba, escondida sob suas roupas, para dentro do avião. Diferentemente do dispositivo utilizado no plano mal sucedido da AQAP em dezembro de 2009 para explodir uma avião com destino a Detroit, nos EUA, desta vez o explosivo poderia ser detonados de duas maneiras.

A bomba "sem dúvida teria derrubado um avião", disse o oficial. A secretária de Estado Hillary Clinton alertou sobre métodos terroristas "cada vez mais perversos".

De acordo com o New York Times, as informações fornecidas pelo agente teriam originado o ataque da CIA a Fahd Mohamed Ahmed al Qasaa, um dos terroristas mais procurados da Al Qaeda. Al Qasaa foi morto no domingo passado, quando seu carro foi atingido durante um ataque aéreo dos EUA no Iêmen.

O nome e a nacionalidade do informante infiltrado não foram revelados, mas, segundo o jornal nova-iorquino, ele não é agente da CIA e se encontra agora em segurança na Arábia Saudita.

Informante saudita

É provável que o serviço de inteligência saudita tenha desempenhado o papel central para desfazer o plano terrorista, possivelmente fornecendo o agente duplo, disseram oficiais americanos.

De acordo com o jornal Los Angeles Times, o agente duplo trabalhava para o serviço de inteligência da Arábia Saudita, a qual dedica grandes esforços ao monitoramento da Al Qaeda no Iêmen.

Ex-oficiais de inteligência dos EUA lembram que a Arábia Saudita recebeu o crédito por descobrir um plano da AQAP, em 2010, de explodir aviões de carga com destino aos EUA e que os sauditas são conhecidos por vigiarem de perto o braço da Al Qaeda no Iêmen.

"Os sauditas têm a melhor compreensão sobre a Al Qaeda na Península Árabe. Presumivelmente, sauditas trabalhando com os EUA desfizeram esse plano dentro do Iêmen, apreenderam o dispositivo e o entregaram aos EUA", disse à emissora CNN Fran Townsend, ex-oficial de combate ao terrorismo durante o governo de George W. Bush.

LPF/dpa/afp/rtr/lusa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais