Hollande anuncia criação de Guarda Nacional | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 28.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Hollande anuncia criação de Guarda Nacional

Após a França ser alvo de mais ataques terroristas, presidente decide constituir corporação para proteger seus cidadãos. Um conselho de defesa deve ser realizado no mês que vem para definir a estrutura.

O presidente da França, François Hollande, confirmou nesta quinta-feira (28/07) os planos de constituir uma Guarda Nacional para ajudar as forças de segurança no combate ao terrorismo e proteger os cidadãos franceses.

A decisão foi anunciada após Hollande se reunir no Palácio do Eliseu com parlamentares que analisaram as possibilidades de criar esse corpo. A presidência disse esperar que ele seja estabelecido "o mais rápido possível". Um conselho de defesa deve ser realizado no mês que vem para definir a estrutura da corporação.

O anúncio de Hollande ocorreu na sequência de dois ataques na França em menos de duas semanas – em Nice, onde um tunisiano avançou com um caminhão contra uma multidão, e em Saint-Etienne-du-Rouvray, na Normandia, onde um padre foi degolado. Antes disso, o país tinha sido atingido pelo atentado à sede do jornal satírico Charlie Hebdo, em janeiro de 2015, e por uma série de ataques em Paris no último dia 13 de novembro, que deixou 130 mortos.

Hollande espera que a guarda – formada por voluntários da polícia, policiais paramilitares e militares – esteja pronta para operar ainda neste segundo semestre.

No início do mês, o presidente afirmou que o Ministério da Defesa iria convocar 28 mil reservistas nas semanas seguintes, enquanto a polícia militar vai fornecer um adicional de 10 mil homens e mulheres que se aposentaram há menos de dois anos. Em janeiro, o presidente havia pedido que o número de reservistas do Exército passasse dos atuais 28 mil para 40 mil até 2019.

A França não tem uma Guarda Nacional desde 1872, quando foi extinta a que havia sido criada em 1789, durante a Revolução Francesa, com o objetivo de manter a ordem pública após a expulsão do Exército Real.

LPF/afp/efe/rtr

Leia mais