1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Hermann Tilke, o novo rei das pistas

Michael Schumacher não é único alemão a reinar no automobilismo. Hermann Tilke é outro especialista em pistas. Enquanto um corre a bordo de sua Ferrari, o outro projeta e constrói pistas de corrida.

default

Circuito de Sakhir

A corrida de Fórmula 1 disputada neste domingo (04/04) em Barein foi especial para os alemães não apenas por ter sido o primeiro GP no mundo árabe. Claro que a terceira vitória de Schumacher na terceira prova da temporada desperta especial alegria nos fãs. Com 30 pontos, o piloto alemão mantém a liderança de sua escuderia Ferrari. Mas não é só isso.

O circuito de Sakhir, inaugurado com a corrida de hoje, atestou o sucesso de outro alemão. Seu nome é Hermann Tilke. Uma figura pouco conhecida pelo público, mas bastante admirada entre os profissionais do automobilismo. Tilke é o engenheiro que planejou e construiu o autódromo de Barein.

Nada mais, nada menos do que o próprio príncipe herdeiro do Barein, o xeque Salman bin Hamad al Khalifa, contratou o alemão de 49 anos para erguer o circuito de Sakhir em pleno deserto. Uma tarefa nada fácil. Afinal, como revelou o engenheiro “a areia acumulada durante anos no solo do deserto é tão dura quanto concreto”.

A primeira providência foi implodir o local, remover mais de um milhão de metros cúbicos de areia, depois começar a construção reaproveintando parte da areia. Deste momento até a entrega da obra, que contou com mais de 3 mil trabalhadores, se passaram 16 meses. Custo total: 125 milhões de euros.

Pensar nos detalhes

Construir um autódromo não é só asfaltar uma pista e pronto. Tilke pensou em todos os detalhes ao projetar o circuito de 5.417 quilômetros. Seu principal objetivo era que tanto os pilotos quanto o público não esquecessem que estavam em um deserto. Apenas em um trajeto, de largada e chegada, tem um pouco de verde, no mais a visão é só de areia. Desta forma foi criado um clima de saída e chegada a um oásis.

Por causa do calor, a pista recebeu uma mistura de granito. As 15 curvas foram planejadas com especial atenção. A mesma atenção foi dispensada à arquibancada que recebeu um toldo claro que reflete o sol com design foi inspirado nas tendas beduínas.

Michael Schumacher auf der Rennstrecke Bahrain

Schumacher na pista de Barein

“É um autódromo impressionante” elogiou Michael Schumacher dias antes da corrida. Após a vitória de hoje, o hexacampeão deve ter ainda mais motivos para admirar a obra de Tilke.

Currículo invejável

Vale salientar o currículo invejável engenheiro. Além de construir e renovar avenidas, ruas e auto-estradas, ele já esteve envolvido em mais de 30 projetos de pistas de corrida pelo mundo e une o útil ao agradável, já que o automobilismo é uma de suas paixões. Ele gosta de correr nas horas vagas, embora o tempo livre esteja se tornando cada vez mais raro nos últimos anos.

Ele próprio se admira de ter chegado tão longe. Seu primeiro contato com a Fórmula 1 ocorreu há cerca de 20 anos, quando foi fazer a medição de uma saída de emergência no circuito de Nürburgring, Alemanha. Hoje, percorre o mundo com tanta freqüência que em algumas companhias aéreas já faz parte do rol de passageiros com mais horas de vôo.

Mais projetos mundo afora

Hermann Tilke foi também o engenheiro responsável pela pista de Sepang, inaugurada na Malásia há cinco anos. Recentemente, conclui o circuito de Xangai, na China. Trata-se de uma obra de cerca de 250 milhões de euros, construída em um solo pantanoso que exigiu até o uso de isopor. Isso mesmo, isopor. A corrida neste circuito acontece dia 16 de setembro.

Agora, o alemão está ocupadíssimo com mais um mega projeto. A construção do circuito de Fórmula 1 em Istambul, na Turquia, país que será incluído na temporada 2005 de F1. Para não perder a pole position nos vôos, Tilke também está envolvido em um grande projeto no Japão.

Leia mais

Links externos