1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Hannover, oásis verde no meio da Alemanha

A capital da Baixa Saxônia não é apenas o centro econômico mas sim o centro cultural do Estado. Embora Hannover tenha apenas meio milhão de habitantes, não pode ser considerada uma cidade interiorana.

default

Nova prefeitura da cidade

Já nos velhos tempos, Hannover era um ponto de cruzamento de importantes rotas comercias – e ainda é. Cerca de 250 mil pessoas passam a cada dia pela estação ferroviária central da cidade, que tem apenas pouco mais de 500 mil habitantes. Hannover é conhecida por ser a sede da maior feira industrial do mundo e da CeBIT, a grande mostra internacional de tecnologia da informação e da comunicação. Com a exposição mundial Expo 2000, a capital do Estado se apresentou a um público internacional.

CeBIT Computermesse in Hannover Flaggen

A cidade da CeBIT

Mas Hannover oferece muito mais aos seus visitantes. Tanto que a cidade pintou uma linha vermelha nas calçadas, para que os visitantes, na busca de atrações, não percam a orientação. Como um guia mudo, a linha acompanha os interessados por mais de quatro quilômetros, passando pelos principais pontos turísticos da cidade.

Uma história agitada

A antiga Praça do Mercado (Marktplatz), com a sua prefeitura velha (construída entre 1439 e 1455), está localizada no centro histórico (Altstadt). Nesta praça, que foi a base para a expansão da cidade, também se encontra a Igreja do Mercado (Marktkirche), uma das construções mais significativas do gótico em tijolo do Norte da Alemanha. O povoado Hannovere foi mencionado pela primeira vez em 1150, como colônia de comerciantes e recebeu em 1241 oficialmente os direitos de cidade.

Em 1714, o príncipe eleitor Georg Ludwig von Hannover foi coroado rei George I da Inglaterra. A união entre Inglaterra e o Principado de Hannover, que foi elevado a Reino em 1815, terminou em meados do século 19 com o morte do rei William IV da Inglaterra. Após a invasão prussiana em 1866, a cidade foi nomeada "capital da província da Prússia". Por causa da sua localização geográfica importante, o comércio da cidade se desenvolveu depressa e logo ela se tornou uma cidade grande.

A nova Hannover

Quase completamente destruída pelos bombardeios dos Aliados em outubro de 1943, a cidade ressurgiu praticamente das ruínas após a Segunda Guerra Mundial. Por causa do seu excelente planejamento de trânsito e sua rápida reconstrução pós-guerra, até hoje Hannover é considerada um exemplo. Ao redor do ponto de encontro Kröpcke-Uhr (relógio Kröpcke) localiza-se um dos maiores calçadões da Alemanha — com bares, restaurantes, arte e música na rua, cinema, cultura e teatro. O centro histórico também é um lugar que convida a um passeio entre casas bonitas e cuidadosamente restauradas, lojas e cafés.

Ausmarsch 473. Schützenfest in Hannover

A maior festa de atiradores no mundo

No seu tempo livre, os moradores da capital gostam de se divertir: por exemplo na festa do Lago Maschsee (Maschseefest) ou na maior festa de atiradores no mundo (Schützenfest Hannover), que se realiza no mês de julho. Também a festa popular do centro histórico (Altstadtfest), maior do gênero na Europa, atrai muitos moradores e visitantes, oferecendo um programa diversificado com muita arte, teatro de rua, jazz e rock. Mesmo sem festa, o lago artificial de 78 hectares serve para nadar, remar e velejar.

A cidade dos jardins

Grotte in Herrenhäuser Gärten in Hannover

Jardim no Castelo de Herrenhausen

Muitas pessoas chamam Hannover de "cidade dos jardins", referindo-se aos jardins do Castelo de Herrenhausen, em estilo barroco. Entre os séculos 17 e 19, os príncipes eleitores e os reis da cidade mandaram construir vários jardins, como o Grosser Garten (Grande Jardim) e o Berggarten (Jardim de Plantas Alpinas). Vale a pena, também, conhecer a nova Tropenhaus (Estufa Tropical), que desde 1996 substitui a antiga Estufa das Palmeiras, destruída na Segunda Guerra Mundial. Seu objetivo não é apenas mostrar as belezas da Amazônia, mas sim contribuir para a proteção do meio ambiente através da sensibilização de crianças e adultos para esta temática.

Mais um símbolo da cidade são as Nanas, esculturas grandes em forma de mulheres coloridas e gordas, criadas pela artista francesa Niki de Saint Phalle. Vistas como provocação, causaram um verdadeiro escândalo na sua instalação em 1974.

O turista também não deve deixar ver a Casa Leibniz, na qual viveu o famoso filósofo, matemático e diplomata, barão Gottfried Wilhelm von Leibniz, no começo do século 18. Além disso, Hannover oferece uma grande quantidade de museus, entre os quais o famoso Museu de Arte Moderna Sprengel. Ele apresenta uma grande coleção de obras do expressionismo alemão, do cubismo francês, como também da arte abstrata do pós-guerra.

Leia mais

Links externos