1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Hamburgo mantém liderança econômica

Estudo conclui pela terceira vez consecutiva que a cidade-estado do norte da Alemanha tem a maior renda per capita e a menor taxa de desemprego entre as 16 unidades da federação.

default

A cidade hanseática conta com 1,7 milhão de habitantes

Os próximos Estados na lista divulgada pela Fundação Bertelsmann são a Baviera, Baden-Württemberg e Hessen. Os "lanterninhas" são Berlim e Mecklenburg-Vorpommern. A pesquisa comparou a evolução da taxa de desemprego, da renda e do grau de segurança nos 16 estados alemães entre os triênios 1999-2001 e 2002-2004.

O resultado poderia ser ainda melhor para a população de Hamburgo. Mas a cidade-estado teve a mais alta taxa de criminalidade e o menor índice de resolução de crimes no período que vai de 2002 a 2004, o que puxou para baixo sua pontuação.

Bloco do leste não é mais monolítico

Luftbild Magdeburg

Magdeburg, capital da Saxônia-Anhalt

A pesquisa também apontou diferenças entre os Estados do Leste Alemão. Pela primeira vez, foi possível perceber progressos na Saxônia, na Saxônia-Anhalt e na Turíngia, segundo o presidente da fundação, o professor Heribert Meffert.

Enquanto houve melhoras visíveis nesses três estados, a situação continuou praticamente a mesma em Brandemburgo e Mecklenburg-Vorpommern. De acordo com Meffert, isso é prova de que, com boas políticas, é possível incentivar o crescimento econômico das regiões da extinta Alemanha Oriental.

Segundo a pesquisa, a Turíngia diminuiu claramente sua taxa de desemprego e a Saxônia está entre os estados cuja economia mais cresceu. O estado que mais evoluiu na tabela foi a Saxônia-Anhalt, com uma alta de 0,7 ponto em uma escala de zero a dez pontos (7%).

Problemas em Berlim

Galerie Bundesländer Berlin

Berlim, capital da Alemanha

Berlim e Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental caíram duas posições cada e estão no final da tabela. "Berlim continua sofrendo com a falta de crescimento econômico e com catastróficos problemas de orçamento", afirmou o coordenador do estudo, o professor Robert Vehrkamp. "Continua sendo uma criança-problema."

Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental está investindo principalmente no turismo, que tem se mostrado insuficiente, segundo os pesquisadores. Outra queda foi a de Bremen, que deixou o grupo de elite e caiu para a sexta posição.

Os pesquisadores também apuraram os esforços dos governos estaduais para melhorar a qualidade de vida de seus cidadãos. Nesse item, Hamburgo está apenas na nona posição. O ranking é liderado por Baden-Württemberg, pela Baviera e pela Renânia-Palatinado.

Relação completa

Veja abaixo a lista completa, elaborada pela Fundação Bertelsmann.

  1. Hamburgo: 7,64 pontos
  2. Baviera: 7,55 pontos
  3. Baden-Württemberg: 7,12 pontos
  4. Hessen: 6,93 pontos
  5. Renânia-Palatinado: 6,39 pontos
  6. Bremen: 6,36 pontos
  7. Saarland: 6,12 pontos
  8. Schleswig-Holstein: 5,91 pontos
  9. Renânia do Norte-Westfália: 5,52 pontos
  10. Baixa-Saxônia: 5,51 pontos
  11. Saxônia: 4,42 pontos
  12. Turíngia: 4,21 pontos
  13. Saxônia-Anhalt: 2,92 pontos
  14. Brandemburgo: 2,46 pontos
  15. Berlim: 2,45 pontos
  16. Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental: 2,29 pontos

Leia mais