1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Hamburgo detém o título de capital verde da Europa

Pela primeira vez na história, há mais pessoas vivendo em zonas urbanas do que em áreas rurais. O programa "Capital Verde Europeia" visa assegurar que as cidades em ascensão lidem com os desafios ambientais.

A competição saudável geralmente estimula o bom desempenho e dá ao vencedor fama, sucesso e honra. Foi exatamente nisso que os 16 representantes de países europeus pensaram ao criar, em maio de 2006, o prêmio "Capital Verde Europeia". A intenção era encorajar as cidades a alcançarem altos níveis de proteção ambiental e melhorar a qualidade do ambiente urbano.

A primeira vencedora foi Estocolmo, considerada capital verde da Europa até 2010. Em 2011, o título passou para a cidade de Hamburgo, no norte da Alemanha.

Já passou da hora de investir em desenvolvimento urbano verde, já que mais da metade da população mundial – cerca de 3,3 bilhões de pessoas – mora em zonas urbanas. Com isso, quase quatro quintos dos gases de estufa são emitidos pelas áreas urbanas. Prova de que as cidades devem unir compromisso e inovação para resolver seus problemas ambientais.

Hamburgo alcança os critérios de uma cidade verde

A Comissão Europeia elaborou dez critérios para pontuar os projetos que irão solucionar os desafios ambientais nas cidades, melhorar a qualidade de vida dos habitantes e reduzir a emissão de gás carbônico no mundo.

Hamburg Grüne Hauptstadt Europas

Meta da cidade é reduzir emissões em 80% até 2050

A cidade vencedora não deve somente cumprir altos padrões ambientais, mas também servir de modelo para inspirar outras cidades europeias.

De acordo com o júri, Hamburgo venceu graças às "ambiciosas metas de proteção climática". A cidade portuária no norte da Alemanha planeja cortar suas emissões de carbono até 2020 em 40%, comparado ao nível de emissões em 1990. E em 80% até 2050.

Críticos dizem que Hamburgo ganhou o cobiçado título mais graças às metas ambiciosas do que às práticas atuais. O que é verdade apenas em parte.

De fato, as ambiciosas metas climáticas de Hamburgo desempenharam papel importante para receber o título, mas a cidade já havia reduzido suas emissões de carbono per capita mais do que Freiburgo, cidade pioneira do movimento verde na Alemanha.

Os últimos números oficiais mostram que as emissões de carbono em Hamburgo chegaram a 8,84 toneladas por ano por habitante. Em comparação, Freiburgo emitiu 9,28 toneladas.

Hamburgo superou os outros competidores em várias categorias. O júri considerou que a qualidade da água em Hamburgo é melhor do que em Bristol, Oslo, Freiburgo e Munique. Nos quesitos gerenciamento de resíduos e qualidade do ar, Hamburgo também deixou os outros concorrentes para trás.

Controvérsias

Em outros quesitos, entretanto, foram apontadas algumas inconsistências. Amsterdã, a cidade das bicicletas, por exemplo, recebeu apenas um ponto a mais do que Hamburgo no quesito infraestrutura de tráfego pró-ciclismo.

Hamburg Hafencity Sandtorkai Hier sieht man den ersten Bauabschnitt der Hafencity in Hamburg. Der Sandtorkai am Sandtorhafen wurde als erstes fertig gestellt. Hinten links sieht man einen Teil des Kaispeichers A, der zur Elbphilharmonie Hamburg umgebaut wird. architektur; bauwerke; bürogebäude; büros; deutschland; europa; gebäude; hafencity; hafenstadt; hamburg; hamburger; hansestadt; luxus; moderne architektur; norddeutschland; reichtum; sandtorhafen; sandtorkai; sehenswürdigkeit; stadt; touristenattraktion; wahrzeichen; wasser; wohnhaus; wohnhäuser; wohnungen; elbe; wohnen

Nova HafenCity poderia ser mais verde, dizem críticos

O júri reconheceu que Amsterdã teve um "desempenho impressionante", já que mais pessoas andam de bicicleta do que de carro na cidade. Lá 90% das vias são seguras para ciclistas. e quem precisa realmente de um carro pode recorrer a uma das estações de compartilhamento de carros, a Car Sharing Station.

Nesse sentido, Hamburgo está ainda muito atrás. Mesmo a nova zona portuária de Hamburgo, a chamada HafenCity, que está sendo desenvolvida, há falhas nos aspectos ambientais. A nova região irá aumentar a área da cidade em 40%. Seria uma boa oportunidade para um planejamento sustentável. Mas em vez de favorecer as bicicletas, a cidade projeta o espaço pensando em carros – como se as mudanças climáticas não existissem.

A caminho de um futuro mais verde

A questão foi criticada pelo "Conselho do Futuro" de Hamburgo, organização composta por cidadãos engajados, empresas e associações. Segundo a porta-voz de imprensa, Delia Schindler, Hamburgo obteve o título Capital Verde da Europa com base no ativismo e no trabalhos das organizações não-governamentais, não dos políticos.

O júri da Comissão Europeia elogiou o amplo engajamento ambiental em Hamburgo. A cidade obteve a pontuação máxima na categoria "disseminação de informação". Os jurados ficaram impressionados com o envolvimento dos jovens nas metas ambientais de Hamburgo e elogiaram as ativas organizações ambientalistas da cidade portuária, assim como seu "entusiasmo" em cooperar com outras organizações na União Europeia.

Autor: Martin Schrader (aks)
Revisão: Francis França