1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Haas desmente que jogará Copa Davis

Melhor tenista da Alemanha alega não estar em condições psicológicas e físicas para defender seu país, após atritos com a federação nacional de tênis.

default

O quinto colocado do ranking mundial corta o técnico Stich: "Não vou"

Tal como bola de tênis, a participação de Thomas Haas na primeira rodada da Copa Davis quica lá e cá. Apenas dois dias depois de o técnico da equipe alemã, Michael Stich, declarar que o melhor tenista do país iria disputar as partidas contra a Croácia, de 8 a 10 de fevereiro, o próprio Haas nega agora estar à disposição, no que parece ser a raquetada final deste jogo de declarações. Ele alega que o okay anunciado por Stich data ainda da época do Natal.

"Desde então falou-se tanta coisa de mim em público, que agravou minha situação junto à DTB (Federação Alemã de Tênis)", escreveu o tenista numa nota divulgada nesta sexta-feira. Há semanas o relacionamento entre o quinto colocado do ranking mundial e o presidente da DTB, Georg von Waldenfels, vem se desgastando.

As conseqüências – A negativa de Haas deixa Stich na mão dois dias antes do embarque do selecionado para Zagreb. Sem o semifinalista do Aberto da Austrália, diminuem sensivelmente as chances de vencer os adversários encabeçados por Goran Ivanisevic, campeão de Wimbledon. Agora, Rainer Schütller e Nicolas Kiefer terão a responsabilidade de defender a Alemanha nas partidas individuais. David Prinosil deverá jogar com um deles as de duplas.

"Tenho de aceitar a decisão", reagiu Stich, que acrescentou: "Não vou ficar lamentando. Não vale a pena." Sobre a falta de forma de Kiefer, o técnico comentou: "Ele agora será cobrado. Precisa assumir a responsabilidade. Eu tenho certeza que ele tem condições."

A justificativa – Em sua nota à imprensa, Haas alegou que, depois das escaramuças com a federação, não terá como se concentrar para defender seu país na Copa Davis. "Eu sei que, sob estas condições, meu jogo sofrerá, tanto psicológica quanto fisicamente. E assim sinto-me obrigado a cancelar minha participação."

O pomo da discórdia entre a DTB e Haas é a reivindicação não atendida de que a federação assumisse a remuneração de 100 mil euros anuais do fisioterapeuta do tenista, Jürgen Dess. "Eu lamento muito a desistência, mas dinheiro não pode ser o definidor na escalação da equipe", observou o presidente von Waldenfels.

Leia mais