1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Guido Westerwelle, o "marqueteiro do liberalismo moderno"

O Partido Liberal alemão quer assumir de novo responsabilidade no governo e volta a apostar em Guido Westerwelle, considerado o "todo-poderoso" e "marqueteiro do liberalismo moderno".

default

Determinação é seu traço marcante

Desde que Guido Westerwelle, nascido no Estado da Renânia do Norte-Vestfália, assumiu a presidência do Partido Liberal (FDP) no congresso nacional da legenda, em 2001, tiveram fim as sucessivas derrotas dos liberais nas urnas. O FDP voltou a ter representantes no Legislativo e Executivo de alguns Estados alemães e, desde 2004, também conta com representação no Parlamento Europeu.

Westerwelle é tido como o líder mais experiente de seu partido, embora tenha apenas 43 anos. Ele começou sua carreira política aos 19 anos, quando se filiou ao Partido Liberal. Três anos depois foi eleito presidente dos Jovens Liberais. É seu, aliás, o mérito de ter tornado esta ala do partido mais atuante e crítica.

Guido Westerwelle bei den Jungen Liberalen 1984

Guido Westerwelle em 1984, no congresso dos Jovens Liberais

Em 1994, o advogado autônomo foi eleito secretário-geral do FDP. Já nesta função ele se empenhou ao máximo para acabar com o estigma de que seu partido exercia a mera função de fiel da balança para os grandes partidos do país.

Westerwelle: crítica e otimismo

Como presidente do FDP na Alemanha, Westerwelle continua se empenhando para polir a imagem de um partido com ideais próprios e metas progressistas. Apesar disso, recebeu muitas críticas quando anunciou que seu partido tinha como meta conseguir 18% dos votos nas eleições de 2002. O resultado ficou muito aquém do esperado. O FDP logrou apenas 7,4% nas urnas.

Jürgen W. Möllemann und Guido Westerwelle beim FDP-Parteitag

Jürgen Möllemann e Guido Westerwelle, em maio de 2002

O fato de Westerwelle ter ingressado na campanha eleitoral ao lado de Jürgen Möllemann, à época presidente estadual do partido na Renânia do Norte-Vestfália, também foi classificado como um erro grave. Muitos dos eleitores do FDP perderam a confiança na legenda devido às acusações de que durante a campanha Möllemann teria desviado dinheiro do partido para financiar panfletos de cunho anti-semita. Esse escândalo culminou com a morte de Möllemann em uma acidente de pará-quedas com suspeita de ato suicida.

Guido Westerwelle

Guido Westerwelle: otimismo e determinação

Neste tipo de situação, Westerwelle consegue revelar seu caráter batalhador e otimista. "O velho clichê é falso e cada novo clichê também é falso. Nós fazemos uma boa política, temos objetivos sérios que defendemos com a necessária porção de otimismo", disse certa vez.

De olho no governo

Enquanto nas últimas eleições Westerwelle se recusou a garantir uma coalizão no caso de uma mudança no governo, a postura agora é bem diferente: o FDP quer chegar ao poder ao lado da União Democrata Cristã (CDU) e União Social Cristã (CSU).

Spezialbild: FDP Bundesparteitag: Westerwelle strebte 18 Prozent für die FDP an

Guido Westerwelle, o todo-poderoso dos liberais

Desde 1998, o Partido Liberal está no banco da oposição. Este é um papel bastante desconfortável para os liberais, que durante décadas participaram do governo, seja através de coalizões com a dupla CDU/CSU ou mesmo com o Partido Social Democrata (SPD).

Bildergalerie Angela Merkel Bild7

Angela Merkel e Guido Westerwelle

"Eu acredito que Angela Merkel será uma boa chanceler", afirmou Westerwelle, lembrando que a intenção é formar uma coligação em que ambas as partes tenham a determinação para colocar em prática os grandes projetos no país. O FDP promete simplificar e tornar o sistema tributário mais justo, apoiar as novas tecnologias e acabar com a burocracia na Alemanha.

Leia mais