1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Guggenheim de Berlim expõe Chillida e Tàpies

Esculturas do artista basco e pinturas do catalão destacam para o público da capital alemã os paralelos que unem dois dos mais importantes artistas plásticos espanhóis da atualidade.

default

"Iru Burni" (Três ferros, 1966), de Eduardo Chillida, obra exposta em Berlim

Há mais do que a origem espanhola dos artistas unindo as obras de Eduardo Chillida e Antoni Tàpies. Há uma história semelhante de defesa do regional e de longa resistência ao domínio do franquismo. Ao mesmo tempo, o viés universal e o caráter atemporal são visíveis tanto na obra do catalão Tàpies quanto na do basco Chillida. O Museu Guggenheim de Berlim reúne a partir deste sábado (20) pinturas, desenhos e esculturas dos dois artistas, criadas entre 1953 e a década de 90.

Realismo - A mostra destaca nas obras expostas a ligação entre a arte contemporânea e as influências culturais das regiões de onde vêm os artistas. O paralelismo entre os dois espanhóis procura ressaltar que o escultor Chillida e o pintor Tàpies trabalham em diferentes dimensões apenas no que diz respeito à forma. Em princípio, segundo a curadoria, ambos almejam um realismo além da reprodução tradicional da realidade.

Enquanto Chillida consegue burilar o espaço através de cortes em seus blocos maciços, Tàpies faz do conceito da matéria o ponto central de sua arte. O artista catalão dá forma ao gesso, cimento, areia ou argila, criando uma zona de tensão entre superfícies vazias e objetos prontos, entre o acaso e a ordem. Desenvolvida a partir de influências do surrealismo, da arte povera e da tradição catalã, a obra de Tàpies é o resultado da inconfundível gramática visual criada pelo artista.

Luz - Chillida, por sua vez, cria peças monumentais que paradoxalmente emanam leveza e luz. Trata-se de um desafio ao sólido como tal. Ou da vitória da luz sobre o corpo. É visível na obra do artista o jogo sutil e harmônico entre a mão do escultor e a matéria esculpida.

A exposição no Museum Guggenheim, que expõe a obra dos dois mestres espanhóis e pode ser vista até o próximo 27 de setembro, reúne peças do acervo do Museu Guggenheim de Nova York e de colecionadores privados, entre eles da família Chillida.