1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Guga é louvado pelo principal jornal alemão

Brasileiro campeão mundial ganha artigo de página inteira na edição de domingo do mais conceituado diário germânico.

Com o título "O bom moço de Florianópolis", o jornal alemão Frankurter Allgemeine Zeitung (FAZ) abriu, em sua edição de domingo, uma página inteira para falar do número 1 do ranking mundial, o catarinense Gustavo "Guga" Kuerten. O artigo destaca a dedicação de Guga ao tênis, aos órfãos e aos portadores de deficiências físicas. Segundo a reportagem, o jogador doa regularmente parte de seus prêmios para o Instituto Gustavo Kuerten (IGK) de Santa Catarina, que cuida da assistência aos deficientes físicos e da integração na sociedade de crianças sem família.

O artigo do FAZ mostra ainda a avó Olga Schlösser, revelando o segredo do neto. "Ele joga pelas crianças e pelos necessitados, aí reside a sua força", declara contente. A matéria compara o tenista brasileiro ao campeão alemão Boris Becker, pois os dois ganharam muito jovens o primeiro torneio de Grand Slam (Becker com 17, em Wimbledon, e Guga com 20, em Roland Garros), e ambos provocaram um boom do tênis nos seus países.

O diário revela também a frase de motivação utilizada pelo jogador e por seu técnico, Larri Passos: "Jogue tênis todo dia, com saúde e alegria." A reportagem ressalta também a força do carisma de Guga, afirmando que, com sua disposição e seu sorriso, ele pode vencer a "tudo e a todos".

O último profissional com coração

Na falta de um ídolo local mais forte - o alemão Tommy Haas teve uma temporada boa mas não pode ser comparado a Boris Becker ou Steffi Graf, eternos campeões -, Guga é considerado um esportista teuto-brasileiro, por causa da sua ascendência germânica. O atleta revela essa ligação quando lembra do pai, Aldo Kuerten, que morreu numa partida de tênis, há mais de 20 anos. "Ele é meu modelo e sua força incomum continua influenciando nossa família", declara Guga. Sobre o pai, Kuerten afirma ainda que ele é "meu um e meu tudo".

Chamado de "o último profissional com coração" pelo jornal americano The New York Times, Guga faz jus ao título com prêmios. Semana passada recebeu um troféu da Unesco, na categoria "Jovem e Cidadania", pelo engajamento social de seu instituto no Brasil.

"Ele é um talento natural, raro e seria muito ruim para o esporte se não houvesse um jogador como ele", declarou ao FAZ o diretor do torneio de Stuttgart, Bernd Nusch, onde Guga já venceu duas vezes. A reportagem finaliza com os lugares preferidos do atleta em sua cidade natal, "Floripa". Entre eles, uma conversa com os amigos numa conhecida pizzaria da capital catarinense, revelando o lado "bom moço e caseiro" do campeão.

Links externos