1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Guatemala define segundo turno de eleição presidencial

Presidência será disputada entre comediante Jimmy Morales e ex-primeira dama Sandra Torres. Terceiro colocado retira candidatura, apesar de ser o favorito para assumir cargo.

default

Jimmy Morales foi o candidato mais votado

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da Guatemala definiu nesta terça-feira (15/09) o segundo turno da eleição presidencial, que será disputado entre o diretor de cinema, ator e comediante Jimmy Morales e a ex-primeira dama Sandra Torres.

O anúncio foi feito, após o terceiro candidato Manuel Baldizón, da Liberdade Democrática Renovada (Lider), retirar a sua candidatura, apesar de ser o favorito na disputa presidencial. Baldizón reiterou também sua insatisfação com a eleição, que chamou de “ilegítima”. Ele já havia denunciado fraudes no sistema eleitoral e declarado que iria contestar os resultados.

Wahlen in Guatemla Präsidentschaftskandidatin Sandra Torres

Sandra Torres ficou em segundo lugar

Segundo o TSE na eleição de 6 de setembro, Morales, candidato da Frente de Convergência Nacional (FCN-Nación), obteve 1,15 milhão de votos (23,99% do total), Torres, da Unidade Nacional da Esperança (UNE), totalizou 948.809, ou seja, 19,75%. Em terceiro lugar estava Baldizón que recebeu 930.905 votos (19,48%).

Morales, de 46 anos, que era praticamente um desconhecido, conseguiu capitalizar a frustração popular com os políticos tradicionais em meio a uma onda de escândalos de corrupção, que levaram à queda do presidente

Otto Pérez Molina

e instalaram a pior crise política do país em décadas.

Já Torres, de 59 anos, foi esposa do ex-presidente Álvaro Colom, que governou o país entre 2008 e 2012. Em 2011, ela pediu o divórcio. A Constituição guatemalteca proíbe a candidatura de parentes de governantes à Presidência. A separação de Torres é vista como um movimento político.

O órgão disse ainda que a eleição precisará ser repetida em 11 municípios, devido a atos de violência que destruíram os registros eleitorais. A nova votação nesses locais acontecerá no mesmo dia em que está marcado o segundo turno, 25 de outubro. O candidato que vencer nas urnas irá assumir a Presidência do país no início de janeiro.

CN/dpa/epd

Leia mais