1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Guardiola participa de campanha pela independência da Catalunha

Ídolo do Barcelona, o treinador do Bayern de Munique será candidato a deputado do Parlamento catalão por dois partidos pró-separatistas. Sem querer entrar na política, ele pretende apenas dar destaque ao movimento.

default

Pep Guardiola participou da consulta simbólica sobre a independência da Catalunha, realizada em novembro

O treinador do Bayern de Munique, Pep Guardiola, será candidato pelos dois principais partidos que apoiam a separação da Catalunha da Espanha. Ícone do Barcelona – como jogador e treinador – Guardiola será o último nome na lista conjunta de candidatos a deputado da coligação entre a Convergência Democrática da Catalunha (CDC) e a Esquerda Republicana da Catalunha (ERC).

"Josep Guardiola fechará a lista unificada", escreveu Ramon Tremosa, partidário catalão da CDC e membro do Parlamento Europeu representando a Espanha. O ex-jogador e ex-treinador do Barcelona está, assim, na lista de candidatos da aliança pró-independência para as eleições para o Parlamento catalão, marcadas para setembro.

Guardiola tem apoiado há muito tempo a independência da Catalunha – um movimento que o

governo espanhol tenta frear com medidas judiciais

. O ex-capitão do Barcelona até mesmo votou numa consulta informal sobre a autonomia, em novembro, na qual

mais de 80% dos eleitores votou em favor da separação da Espanha

.

No entanto, Guardiola não deseja ser eleito para o governo regional da Catalunha. Ser colocado em último na lista de candidatos simplesmente dará um destaque ao movimento separatista e enaltece o apoio de Guardiola à causa regional. O jornal espanhol El País, sem citar fontes, afirmou que o atual treinador do Bayern de Munique não tem intenções de entrar na política.

A campanha perdeu força nos últimos meses em meio a conflitos políticos na região e a partidos de esquerda emergentes, mais interessados em problemas sociais do que em separatismo. Mas recentemente voltou a ganhar fôlego com a decisão dos dois partidos – Convergência Democrática da Catalunha e Esquerda Republicana de Catalunha – de lançarem uma lista conjunta.

PV/afp/dpa

Leia mais