1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Eurocopa

Grupo D: duelo dos arquirrivais

Um coanfitrião, duas potências do futebol com imagem manchada e uma equipe disposta a estragar os planos dos adversários. O Grupo D, com Ucrânia, França, Inglaterra e Suécia, promete duelos de muita emoção.

Logo o primeiro jogo do grupo é um clássico. França e Inglaterra abrem a chave precisando, as duas, polir suas arranhadas imagens. Os ingleses, na época ainda treinados por Fabio Capello, não tiveram problemas nas eliminatórias. Eles começaram só depois.

A Football Association, a federação inglesa de futebol, retirou a faixa de capitão da seleção do jogador John Terry, por ele ter supostamente feito comentários racistas contra outro jogador do campeonato inglês. Capello não concordou com a decisão e renunciou quatro meses antes de a Euro começar. Roy Hodgson, de 64 anos, assumiu o posto.

Ele é um treinador experiente. Entretanto, sua nomeação foi controversa, causando críticas de torcedores e mídia. Sua equipe corresponde ao conhecido time da Copa de 2010, com exceção do suspenso Terry. Porém, nos dois primeiros jogos, Hodgson terá que abrir mão da estrela Wayne Rooney. O atacante está suspenso por ter tomado cartão vermelho no último jogo das eliminatórias.

England's Wayne Rooney receives a red card during their group G Euro 2012 qualifying soccer match in Podgorica, Montenegro, Friday, Oct. 7, 2011. (AP Photo/Darko Bandic)

Rooney ganha vermelho no jogo entre Inglaterra e Montenegro. Craque só poderá jogar última partida do grupo

França tem grandes nomes e pouca unidade

Na França, as esperanças repousam sobre o técnico Laurent Blanc. Ele assumiu o cargo após a escandalosa apresentação da equipe francesa na Copa do Mundo de 2010. Uma greve de jogadores e conflitos internos causaram na época indignação em toda a França. Blanc mudou, por causa disso, a cara de sua equipe de forma significativa.

Apesar de ter muitos jovens jogadores de talento e estrelas como Franck Ribéry (Bayern), Karim Benzema (Real Madrid) e Eric Abidal (Barcelona), a qualificação só foi conseguida com extrema dificuldade. Parece que Blanc ainda não encontrou a combinação correta para tentar conquistar um título. No entanto, a tendência parece ser claramente de melhora a cada jogo. No início do ano, a equipe comemorou uma vitória por 2 a 1 em um amistoso contra a Alemanha em Bremen.

Ucrânia tem bônus de coanfitriã

Jogando em casa em novembro do ano passado, o time empatou com os alemães em 3 a 3. O jogo serviu para mostrar a força do time ucraniano, que dominava com perfeição a tática de contra-ataque rápido e seguro armada pelo técnico Oleg Blokhin. Entretanto, a armação de jogadas deixou a desejar, assim como a defesa.

As estrelas do time são Andrei Chevchenko, que no crepúsculo da carreira está novamente jogando em seu país (Dínamo de Kiev), e Anatoly Tymoshchuk (Bayern de Munique). Infelizmente, o goleiro Alexander Schowkowski se contundiu gravemente e está fora do torneio. É difícil avaliar o potencial dos ucranianos na UEFA Euro 2012, já que eles não precisaram jogar as eliminatórias. Com o bônus de coanfitriões e a força da torcida, a seleção tem chance de passar à próxima fase.

epa02770625 Sweden's Zlatan Ibrahimovic celebrates after scoring 4-0 during their UEFA Euro 2012 Group E qualifying soccer match between Sweden and Finland at Rasunda Football Stadium in Stockholm, Sweden June 7, 2011. EPA/JANERIK HENRIKSSON / SCANPIX ** SWEDEN OUT ** +++(c) dpa - Bildfunk+++

Ibrahimovic: atacante do Milan é controverso no time sueco

Suécia com novo sistema tático

Suécia jogou bem nas eliminatórias da Eurocopa. Com 31 gols, esteve entre as equipes que mais marcaram. A principal razão é o moderno e ofensivo sistema 4-2-3-1 montado pelo treinador Erik Hamren. Hamren também integrou jovens talentos da bem-sucedida seleção Sub-21. O principal jogador do time é Zlatan Ibrahimovic, atacante do Milan e figura controversa.

Desde que Ibrahimovic estreou na equipe, em 2001, a Suécia venceu todos os jogos das eliminatórias em que jogou sem ele. Já com Ibrahimovic, os escandinavos tiveram uma taxa de sucesso de apenas 55%.

Alguns torcedores e setores da mídia na Suécia pedem, por isso, que Ibrahimovic não jogue no campeonato. "Eu não entendo", disse Hamren. "Acho que ele está fazendo um trabalho fantástico." Ibrahimovic é também capitão da equipe sueca, a qual tem potencial para derrotar os favoritos França e Inglaterra. Se o suecos encontrarem sua melhor forma já no início do torneio, poderão agitar bastante o grupo D.

Autor: Jens Krepela (md)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais