1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Eurocopa

Grandes torneios de futebol têm efeito modesto sobre a economia

Milhões são investidos em infraestrutura e trazidos por turistas de todo o mundo. Durante a Eurocopa 2012, na Ucrânia e Polônia, especialistas avaliam reais efeitos econômicos dos campeonatos do futebol.

Em termos econômicos, o que acontece nos gramados é pouco relevante. O economista do esporte Markus Kurscheidt, da Universidade de Bayreuth, na Alemanha, pesquisa a relação entre futebol e desenvolvimento econômico há anos. "Quase não há estudos científicos que comprovem um efeito substancial sobre a economia como um todo", diz. Segundo o especialista, há impactos do futebol sobre a conjuntura econômica, que, porém, não são tão grandes como se gostaria.

Até mesmo em 2006, ano da Copa do Mundo na Alemanha, quando bares, lojas e empresas de transporte viram seus lucros dispararem, o Produto Interno Bruto (PIB) do país só cresceu 0,13% a mais. Os alemães gastaram com bandeiras, cerveja e ingressos para os jogos, mas, para compensar, cortaram outros gastos, como as férias de verão.

"São os visitantes estrangeiros que, do ponto de vista da economia nacional, trazem dinheiro novo para o país. Esse é o efeito central dos grandes eventos esportivos", afirma Kurscheidt.

Propaganda internacional

Os investimentos em infraestrutura, em contrapartida, tiveram pouco efeito sobre a economia alemã. Novas vias, estádios e ônibus são investimentos que seriam realizados de qualquer maneira. Esses gastos foram apenas privilegiados e cortados, então, nos anos seguintes.

Mesmo assim, tais investimentos valem a pena, afirma Jörn Quitzau, do Banco Berenberg, de Hamburgo. "Esses gastos são rentáveis, pois o que foi construído também poderá ser usado futuramente. A renovação de aeroportos, estações de trem ou estradas é algo que beneficiará a economia por muito tempo."

Ao estudar como grandes torneios de futebol afetam a economia, Quitzau verificou que a elevação do consumo e a expansão da infraestrutura não estão em primeiro plano. "Do meu ponto de vista, a vantagem econômica mais relevante de tais grandes eventos é que os países anfitriões se apresentam para o mundo e fazem propaganda para si mesmos. Isso pode ter efeitos positivos sobre a confiança no país e sobre a atividade comercial", considera.

Evidentemente, a condição para tanto é que os jogos sejam bem organizados e corram bem. Se for assim, o atual Campeonato Europeu de Futebol poderá valer a pena para a Polônia e a Ucrânia, pois talvez os torcedores retornem aos países anfitriões, seja como turistas ou como investidores.

O mercado de ações, aliás, também reage ao longo de um campeonato. Se um time é eliminado, as ações no respectivo país costumam cair, pois o clima nacional fica ruim, também entre os corretores.

Interessante é que os valores não sobem quando o time vence, pois os corretores interpretam o fato apenas como um pequeno passo rumo ao título. Somente quando a final é vencida, os ânimos e as cotações se elevam, constataram os especialistas.

Autor: Michael Hartlep (lpf)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais