1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Grönemeyer: ativista político e cantor do hino oficial da Copa

Ele faz 50 anos, mas não tem vontade de comemorar – pelo menos não abertamente. E isso apesar de ser um dos mais conhecidos popstars alemães.

default

Herbert Grönemeyer vai comemorar seu 50º aniversário longe dos flashes

Há mais de 25 anos, Grönemeyer balança a cena musical na Alemanha e parece que vai continuar ainda por algum tempo. No momento, ele trabalha em seu novo álbum, que tem lançamento previsto para 2007.

A história de sucesso de Grönemeyer começa no início dos anos 80, em Bochum, sua cidade natal. Depois de ter fracassado com seus dois primeiros álbuns – o número um recebeu até o prêmio de "capa mais horrorosa do ano" –, ele conseguiu estourar com a canção Männer (Homens) – verdadeiramente cultuada por seus fãs.

Homens são "super fortes" e "podem tudo", eles "compram mulheres" e "choram muito". Grönemeyer satirizava os super-heróis – que, no final das contas, não passam de pessoas normais. O disco ficou durante 79 semanas entre os 100 mais das paradas de sucesso e foi um êxito de vendas para um cantor de rock até então desconhecido. Quase todos os alemães sabem o refrão de cor até hoje.

Por conta de duras armadilhas do destino, o cantor permaneceu em silêncio no final dos anos 90. Em novembro de 1998, morreram seu irmão Wilhelm e sua esposa Anna, em um curto espaço de tempo. Grönemeyer desapareceu do convívio público.

Neste período, foram escritas as canções para seu álbum Mensch, que seria lançado com sucesso quatro anos depois em comemoração de sua volta à cena artística. O disco alcançou a cifra de três milhões de cópias vendidas e o single Mensch levou o cantor pela primeira vez à primeira posição da lista de mais tocadas.

Engajamento político

Grönemeyer não é conhecido somente por sua música, mas também por seu engajamento político. Ele faz o tipo daqueles que expressa sempre sua opinião sem meias palavras. O cantor assume posicionamento político em muitas de suas canções, canta sobre energia atômica, sobre racismo e prega a paz e a tolerância. Grönemeyer é engajado ativamente em missões de ajuda ao desenvolvimento da África.

Grönemeyer - Pk zur Bekämpfung der Armut

Grönemeyer na luta contra a fome e pelo desenvolvimento da África

Depois de ter escrito com o músico Wolfgang Niedecken, há 20 anos, a canção alemã para um concerto beneficente ao continente africano, tornou-se presidente da associação Deine Stimme gegen Armut (Sua voz contra a pobreza), base alemã da iniciativa "Make Poverty History", de Bob Geldofs. O objetivo da campanha é sensibilizar a população quanto à pobreza e pressionar as autoridades governamentais.

"Juntos, temos a força para mudar as coisas e agora é a hora de nos movimentarmos para mudar o mundo. Se não assumirmos esta tarefa, precisaremos viver a vida toda com as conseqüências de não termos agido, quando era possível, contra a pobreza, as doenças, a fome e a morte. Também seremos julgados por isso pelas próximas gerações", afirma o cantor.

O engajamento político de Grönemeyer deu a ele projeção internacional. O cantor foi capa da Time Magazine na edição de "Heróis Europeus de 2005". A revista americana elegeu 37 personalidades que são ativas na luta pelo bem-estar social.

Voz também para o futebol

A Fifa também escolheu Grönemeyer para escrever o hino oficial da Copa do Mundo de Futebol de 2006, na Alemanha. A canção já está pronta e recebeu o título Celebrate the day (Celebrem o dia). A música será gravada em diversas línguas e poderá ser ouvida na voz do próprio Grönemeyer durante a abertura oficial da Copa, no dia 9 de junho, em Munique.

Leia mais