1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Grécia honra dívida com FMI

Apesar das dificuldades econômicas, Atenas ordena restituição de parcela de empréstimo no valor de 450 milhões de euros. Governo grego espera chegar a um novo acordo com credores internacionais até o fim deste mês.

O governo grego ordenou o pagamento ao Fundo Monetário Internacional (FMI) de uma parcela no valor de cerca de 450 milhões de euros, referente a um empréstimo que vencia nesta quinta-feira (09/04). Atenas havia insistido que honraria a dívida, apesar das dificuldades econômicas.

"A ordem [de restituição] foi dada", e o pagamento está sendo processado, disse um representante do Ministério das Finanças grego, em condição de anonimato.

A parcela é resquício do pacote de resgate internacional que concedeu 240 bilhões de euros em empréstimos à Grécia, provenientes de outros países da zona do euro e do FMI. Dúvidas quanto à capacidade de Atenas de restituir o empréstimo haviam elevado os temores de que o país pudesse ir à falência e ser obrigado a deixar a zona do euro.

O pagamento da parcela ocorre num momento em que o governo grego corre contra o tempo para chegar a um acordo com os credores internacionais sobre os novos termos de um pacote de resgate. O país não recebe fundos desde agosto passado, e os cofres públicos estão esvaziando.

O país sobrevive com a ajuda do pacote de resgate desde meados de 2010. Atenas espera convencer os credores a liberar a parcela final, no valor de 7,2 bilhões de euros, em troca de um plano de reformas, que tem entre os pontos-chave o combate à evasão fiscal.

Em fevereiro deste ano, o novo governo grego, liderado pelo esquerdista Alexis Tsipras, conseguiu uma extensão do resgate por quatro meses, na condição de que viesse acompanhada de reformas.

Agora, as autoridades gregas esperam chegar a um acordo final com os credores internacionais – FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu – até o fim de abril.

LPF/ap/dpa

Leia mais