Governo sírio bombardeia reduto do ″Estado Islâmico″ | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 26.11.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Governo sírio bombardeia reduto do "Estado Islâmico"

Cidade de Raqqa, no norte da Síria, é controlada pelos extremistas desde agosto. Ataques aéreos deixaram dezenas de mortos, sendo grande parte deles civis.

O governo sírio bombardeou a cidade de Raqqa, sob domínio dos extremistas do "Estado Islâmico" (EI), nesta terça-feira (25/11), deixando dezenas de mortos.

A cidade, no norte do país, tem sido alvo de ataques aéreos desde setembro, quando uma coalizão liderada pelos Estados Unidos começou a ofensiva para enfraquecer o grupo jihadista na Síria. O governo americano disse não ter ordenado ataques em Raqqa nas últimas 24 horas.

As informações sobre mortos são desencontradas. O Observatório de Direitos Humanos na Síria disse nesta quarta-feira que 95 pessoas morreram, sendo ao menos 52 delas civis. Outros ativistas estimam que haja mais de 100 vítimas fatais. Segundo relatos, os ataques atingiram um mercado e uma área industrial próxima à fronteira com o Iraque.

O "Estado Islâmico" domina a província de Raqqa, cuja cidade homônima é a capital, desde agosto, quando expulsou as últimas tropas do Exercito sírio e assumiu o controle de uma base aérea no local.

O ministro das Relações Exteriores da Síria, Walid al-Moallem, viajou nesta quarta-feira para Moscou para buscar apoio da Rússia para a crise que atinge o país. O governo russo é considerado um dos maiores aliados do presidente sírio, Bashar al-Assad.

De acordo com as Nações Unidas, 12,2 milhões de pessoas precisam de assistência humanitária urgente na Síria. Mais de sete milhões de sírios estão deslocados no próprio país, e pouco mais de três milhões fugiram – o que representa a maior comunidade de refugiados no mundo em decorrência de conflitos.

MMS/dpa/ap/afp

Leia mais