1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Governo palestino entrega carta de renúncia

Primeiro-ministro Rami Hamdallah apresenta desistência de seu governo, após desavenças com o Hamas sobre o controle na Faixa de Gaza. Grupo radical rejeita a dissolução e classifica medida como unilateral.

default

Presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmud Abbas, ordenou a formação de um novo governo

O primeiro-ministro palestino, Rami Hamdallah, apresentou nesta quarta-feira (17/06) a renúncia do governo de unidade nacional, diante da crescente divisão entre Cisjordânia e Faixa de Gaza. O motivo da renúncia são desavenças sobre o controle na Faixa de Gaza. A medida foi rejeitada pelo Hamas, que a classificou de unilateral. A formação de um novo governo pode levar semanas.

O governo de unidade nacional foi formado há um ano com a esperança de remendar as relações entre o grupo radical Hamas e o partido Fatah, do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmud Abbas.

O assessor do presidente Abbas, Nimr Hammad, afirmou que Hamdallah "entregou sua renúncia a Abbas e Abbas o ordenou a formar um novo governo". Contundo, ainda é incerto como o próximo gabinete deve ser formado. Segundo Hammad, as discussões sobre a formação de um novo governo incluirão consultas com as várias facções palestinas, incluindo o Hamas.

O Hamas, o movimento islâmico que controla a Faixa de Gaza, e o Fatah de Abbas concordaram em formar um governo de unidade em junho de 2014, pouco depois do fracasso das negociações de paz com Israel.

O objetivo do governo era pavimentar um caminho para eleições presidenciais e parlamentares palestinas num prazo de seis meses. Mas o Hamas se recusou a desistir de seu controle da Faixa de Gaza, dificultando o trabalho do governo e sabotando planos de eleições, segundo assessores.

O Hamas, no entanto, rejeitou a dissolução unilateral do governo de unidade, afirmando que não foi consultado. "Hamas rejeita qualquer alteração unilateral do governo sem o acordo de todas as partes. Ninguém nos consultou sobre qualquer mudança no governo de unidade", disse o porta-voz do grupo, Sami Abu Zuhri.

O presidente palestino está preso numa luta de poder com o Hamas desde 2006, quando os islamitas venceram as eleições parlamentares, exatamente um ano após Abbas ter vencido a eleição presidencial. Em 2007, o Hamas tomou o controle exclusivo sobre a Faixa de Gaza, combatendo forças de segurança afiliadas à Autoridade Nacional Palestina de Abbas.

Ao longo dos últimos meses, Israel tem realizado conversações extra-oficiais com o Hamas, visando evitar novos confrontos. Os encontros estão sendo mediados por Nações Unidas, Europa e Catar.

PV/afp/dpa

Leia mais