Governo britânico exige que denúncia de doping seja apurada | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 03.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Governo britânico exige que denúncia de doping seja apurada

"Sunday Times" divulga vídeo em que médico afirma ter receitado medicamentos proibidos a futebolistas e outros atletas de elite. Governo pede investigação na agência antidoping do Reino Unido.

O governo britânico pediu neste domingo (03/04) uma investigação urgente para verificar como a Agência Antidoping do Reino Unido (Ukad) reagiu a denúncias feitas em 2014 contra o médico Mark Bonar, que supostamente teria receitado medicamentos proibidos a futebolistas e outros atletas de elite do país.

O jornal The Sunday Times divulgou um vídeo, que será exibido na emissora estatal alemã WDR, no qual Bonar, que trabalha numa clínica privada de Londres e que não teria registro médico, aparentemente reconhece ter prescrito medicamentos proibidos a 150 esportistas para melhorar o rendimento deles.

A Ukad admitiu que, entre abril e maio de 2014, recebeu uma denúncia contra o médico, mas a ignorou por considerar que ele não estava sob jurisdição desportiva. Porém, a agência também não passou o caso para a conselho de médicos nem contactou Bonar.

A FA, federação inglesa de futebol, comprometeu-se a apoiar a investigação. Já os clubes citados no vídeo – Arsenal, Leicester City, Chelsea e Birmingham City – negaram as acusações. O Chelsea afirmou que a denúncia é "falsa e totalmente infundada", acrescentando que nunca usou os serviços do médico nem tem conhecimento de que jogadores do clube o tenham feito.

No vídeo, gravado em segredo por um atleta em colaboração com o periódico, o médico de 38 anos assegura ter receitado substâncias não permitidas a ciclistas, tenistas, um jogador de críquete, um campeão de boxe e futebolistas da Premier League, a primeira divisão.

Bonar revela que tratou futebolistas do Arsenal, do Chelsea, do Leicester City e do Birmingham City. O Sunday Times não identificou nenhum dos desportistas supostamente envolvidos e afirmou que não conseguiu confirmar a veracidade das denúncias.

Na gravação, o médico diz ter tratado seus clientes com substâncias como eritropoietina (EPO), esteróides e hormônios de crescimento. Ele afirma também que foi um antigo preparador do Chelsea, Bob Brinded, quem lhe apresentou a vários futebolistas de elite.

AS/efe/dpa

Leia mais