1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Governador de Hessen é criticado por declarações sobre jovens estrangeiros

SPD e Partido Verde classificam como populismo as declarações do governador Roland Koch sobre a criminalidade entre jovens estrangeiros na Alemanha e vêem motivos eleitorais no debate.

default

Roland Koch disse que há jovens estrangeiros criminosos demais na Alemanha

O SPD e o Partido Verde fizeram neste sábado (29/12) duras críticas às declarações do governador de Hessen, Roland Koch (CDU), que afirmara existirem jovens estrangeiros criminosos demais na Alemanha e defendera um procedimento mais rígido contra criminosos entre 18 e 21 anos.

O vice-chanceler e ministro das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier (SPD), avaliou as declarações de Koch como "a forma mais brutal de populismo". Ele disse ao jornal Bild am Sonntag que Koch deveria se preocupar com uma integração mais eficiente dos jovens estrangeiros na sociedade alemã e afirmou que a Justiça alemã dispõe de inúmeros instrumentos para agir contra casos de violência como o ocorrido em Munique.

Na semana passada, um aposentado de 76 anos foi agredido no vagão do metrô de Munique por dois jovens, um grego de 17 anos e um turco de 20 anos, após pedir a eles para não fumar no trem. O caso deu origem a um debate sobre violência entre jovens estrangeiros na Alemanha.

Campanha eleitoral

Já o deputado do Partido Verde Volker Beck disse que Koch está, aparentemente, "com água até o pescoço" e quer se salvar com a ajuda de declarações populistas, numa referência às sondagens eleitorais que mostram que o governador poderá perder a maioria no parlamento local nas eleições de 27 de janeiro.

A ministra da Justiça, Brigitte Zypries, argumentou que é um equívoco pensar que o envio de jovens para a cadeia desencoraja a criminalidade. "Jovens que cumpriram penas de prisão têm uma taxa de reincidência maior do que aqueles que foram punidos de outra maneira."

O secretário-geral da CDU, Ronald Pofalla, manifestou o apoio do partido a Koch. "O Estado de direito deve ficar alerta e, quando necessário, fazer ajustes na lei", afirmou. Pofalla disse que os políticos não devem fechar os olhos caso o percentual de estrangeiros entre os jovens deliqüentes seja maior do que o de estrangeiros na sociedade. Ele alertou os políticos do SPD e do Partido Verde para não impedirem um debate necessário com o "absurdo argumento" da xenofobia.

Koch reforçou suas declarações neste sábado em entrevista ao jornal Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung . Ele disse que não deixará o tema se tornar um tabu "só porque há uma campanha eleitoral". Koch afirmou que os social-democratas são responsáveis por não terem havido ações eficientes contra jovens criminosos estrangeiros nos anos 80 e 90. (as)

Leia mais