1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Migração

Governador da Baviera pede intervenção urgente de Merkel

Horst Seehofer diz que governo federal tem até domingo para limitar e controlar o afluxo de migrantes no estado alemão. Político acusa a Áustria de não informar autoridades bávaras sobre envio de refugiados à Alemanha.

O governador da Baviera, Horst Seehofer, criticou a Áustria nesta terça-feira (27/10) por permitir que milhares de refugiados entrem na Alemanha sem que as autoridades locais sejam informadas, e pediu uma intervenção urgente da chanceler federal, Angela Merkel.

"O comportamento da Áustria fere nossas relações como vizinhos. Não podemos e não devemos lidar uns com os outros dessa maneira", afirmou Seehofer ao jornal Passauer Neue Presse.

A Baviera tem sido o principal ponto de entrada de centenas de milhares de migrantes que chegam à Alemanha nos últimos meses. As autoridades locais acusam Viena de não informá-los quando novas levas de refugiados estão a caminho da fronteira.

As autoridades austríacas, porém, rejeitam a acusação e asseguram que os dois lados estão constantemente em contato para coordenar o fluxo migratório. "Normalmente não comentamos declarações políticas, mas o fato é que a Áustria recebe 11 mil pessoas diariamente em Spielfeld, e a Baviera não pode dizer que irá lidar com apenas 50 pessoas por hora em sua fronteira. Isso é uma piada", afirmou um porta-voz da polícia austríaca.

Entretanto, a polícia bávara diz que, apenas nesta segunda-feira, cerca de 2 mil refugiados atravessaram a fronteira a pé, pegando as autoridades de surpresa, e que os números informados pelos austríacos não condizem com o total de pessoas que chegam ao estado.

O secretário do Interior da Baviera, Joachim Herrmann, reforçou as críticas às autoridades do país vizinho, dizendo que a Áustria quer apenas encaminhar os refugiados à Alemanha com a maior rapidez possível. Ele qualifica como "irresponsáveis" as atitudes dos colegas austríacos.

Prazo até domingo

Seehofer insistiu que Merkel deve intervir junto a seu homólogo austríaco, Werner Faymann, afirmando que a chanceler deve pôr fim à "política de portas abertas".

O governador bávaro, que também é o líder da União Social Cristã (CSU) – a tradicional aliada da União Democrata Cristã (CDU), de Merkel –, é um dos

mais vorazes críticos da política migratória do governo federal

.

Ele deu um ultimato a Berlim, dizendo que irá aguardar até domingo para ver se o governo federal "está pronto para acatar o pedido da Baviera de controlar e limitar a imigração". "Se não houver resultados, teremos que considerar quais são nossas opções", ameaçou.

O secretário-geral da CDU, Peter Tauber, pediu paciência, afirmando que esta não é uma decisão simples. "Não há um interruptor que se possa ligar e desligar", disse, alertando que é necessário trabalhar em nível europeu para lutar contra as causas do atual fluxo migratório. "Isso leva tempo", ressaltou.

RC/rtr/dpa/afp

Leia mais