1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Gorbatchov: popular na Alemanha, controverso na Rússia

O ex-presidente é celebrado na Alemanha por ter possibilitado a reunificação pacífica e a abertura da Cortina de Ferro. Já na Rússia, a situação é diferente. Neste dia 2 de março, Gorbatchov completa 75 anos.

default

'Você conhece um reformador que seja adorado por todos?'

Em caixa alta, "GORBI; GORBI" foi título do jornal alemão Bild em junho de 1989. "Gorbi" foi o nome carinhoso que os alemães deram ao então presidente soviético, Mikhail Gorbatchov. A capa estampava ainda uma foto do líder com sua esposa, enquanto seguravam, sorridentes, um menino alemão. O exemplar faz parte hoje do acervo do museu Haus der Geschichte, em Bonn.

Der frühere russische Präsident Michael Gorbatschow im Haus der Geschichte in Bonn

Mikhail Gorbatchov no museu Haus der Geschichte, em Bonn

O que o jornal comprova é que, já naquela época, Gorbatchov desfrutava de forte prestígio entre os alemães. Depois da reunificação, ele se tornou herói, por ter possibilitado que o processo de unificação das duas Alemanhas se desse de forma pacífica.

"Pode-se afirmar que Mikhail Gorbatchov mudou o mundo, e para melhor, por ter acabado com a Guerra Fria, que se estendia há décadas, por meio de suas mudanças na política soviética", disse Hans-Dietrich Genscher, então ministro alemão do Exterior.

Glasnost e perestroika são palavras que os alemães associam diretamente ao nome de Mikhail Gorbatchov. Os vocábulos podem ser encontrados, inclusive, no Duden, mais importante dicionário da língua alemã.

Baixa popularidade na Rússia

Na Rússia, no entanto, encontram-se poucas pessoas que mostram admiração e respeito pelo ex-líder soviético.

O autor alemão Klaus-Rüdiger Mai conversou com muitos russos sobre o assunto durante a elaboração de uma biografia mais atual de Gorbatchov. As reações foram bastante discrepantes, segundo ele. Para alguns, Gorbatchov é aquele que promoveu a abertura do país, para outros, o responsável pela destruição da União Soviética.

Mai disse ter ouvido declarações semelhantes: "Não deveríamos ter-nos desfeito do bloco oriental, não deveríamos ter feito isso, deveríamos ter conduzido a política externa para bases mais fortes e, então, tudo estaria bem. Então, talvez eu, pessoalmente, não estivesse bem, mas a Rússia ainda seria um país grande e forte". Afirmações deste gênero eram feitas com freqüência.

Obdachloser in Rußland bei frostiger Kälte

Sem-teto na Rússia. Muitos ainda atribuem a culpa pela má situação social do país a Gorbatchov

Em verdade, não há mais uma Rússia grande e forte, e muitos de seus cidadãos sofrem hoje com péssimas condições de vida. A culpa da situação atual do país é conferida, ainda hoje, muitas vezes, às reformas de Gorbatchov e não à política econômica de Boris Ieltsin, segundo Mai. Sua baixa popularidade é resultado também da distorção do olhar russo sobre sua própria história.

Mas Gorbatchov parece não se preocupar com o fato de ser pouco popular em seu país de origem. Quanto ao assunto, o ex-presidente respondeu, em entrevista à revista alemã Stern: "Você conhece um reformador que seja adorado por todos?".

Angela Merkel parabeniza o ex-líder soviético

Wahl Fernsehduell Merkel Schröder Angela Merkel

'A reunificação alemã estará para sempre ligada a seu nome', diz Merkel sobre Gorbatchov

A chanceler federal Angela Merkel parabenizou Mikhail Gorbatchov por seu 75º aniversário e agradeceu seu papel na reunificação alemã. "A reunificação alemã estará para sempre ligada a seu nome", escreveu Merkel em seu telegrama de felicitações. "Isso nos obriga a todos – e a mim pessoalmente – a lhe dizer: muito obrigada".

Leia mais