1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Berlinale

Gloria Pires e Miranda Otto brilham em "Você nunca disse eu te amo"

Filme de Bruno Barreto estreia na Berlinale e conta a conturbada e intensa história de amor entre a poetisa americana Elisabeth Bishop e a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares.

A produtora Lucy Barreto estava radiante na entrevista coletiva à imprensa de Você Nunca Disse Eu Te Amo, filme dirigido pelo seu filho Bruno e que teve estreia internacional neste sábado (09/02) no Festival de Cinema de Berlim.

"É um negócio de família. Estamos celebrando 50 anos da produtora que fundei com o meu marido. Somos dinossauros", disse Lucy, em tom de brincadeira, ao apresentar um projeto que ela chama de seu, já que foi ela que adquiriu os direitos do filme, há 17 anos.

"Li o livro no período do Natal, em 1995. Quando terminei, liguei para a autora Carmem Lúcia de Oliveira e disse que não tinha dinheiro, só prestígio. Então viramos sócias. Cinema é um lugar de sonho e esse filme era meu sonho", completou a matriarca da família.

O filme estrelado por Gloria Pires e Miranda Otto recria o Rio de Janeiro das décadas de 1950 e 1960 para acompanhar a história real e pouco conhecida do amor entre a poetisa americana Elisabeth Bishop e a arquiteta carioca Lota de Macedo Soares.

Ângulo certo

O processo de transformar o livro em filme foi trabalhoso, com diversas tentativas de roteiristas e diretores. Bruno já havia recusado fazer o filme, que também foi oferecido para Hector Babenco, que também não aceitou o convite.

As coisas começaram a mudar anos depois, quando o diretor viu um monólogo de sua ex-mulher Amy Irving sobre a história contada no livro. "Fiquei mais íntimo da história e queria saber mais sobre as personagens. Li o livro, havia uma simetria, mas mesmo assim ainda não encontrava o ângulo certo para contar a história", disse o diretor.

Berlinale 2013 Reaching for the Moon

Miranda Otto (Bishop) e Gloria Pires (Lota) são os destaques do novo filme de Bruno Barreto

Brasileiro, casado com uma americana e vivendo nos Estados Unidos, Bruno Barreto encontrou a maneira de contar essa história quando estava se divorciando. "Me sentia como Bishop e achei o ângulo que faltava. Esse era um filme sobre perda. Quando percebi isso, começamos a trabalhar no roteiro", explicou.

Grandes mulheres

Outra que estava no projeto desde o início era Gloria Pires, que interpreta a forte e independente Lota de Macedo Soares, a idealizadora do Parque do Flamengo, no Rio de Janeiro. "Depois que falei com a Carmem, eu liguei para a Gloria e disse que tinha o papel ideal para ela. Mandei o livro de presente de Natal, e três dias depois ela estava no projeto", disse a produtora.

Já o processo de achar a atriz ideal para interpretar Bishop foi longo, mas Miranda Otto foi a escolha ideal. "Fiquei apaixonada pelo roteiro sobre essas duas mulheres extraordinárias. É difícil achar roteiros em que as mulheres são protagonistas pela sua inteligência e não pela sua sensualidade. Acho fascinante a ideia de duas artistas vivendo juntas e apaixonadas", disse a atriz.

A relação entre as duas foi intensa e durou 15 anos. Suas vidas foram marcadas não só por complexas personalidades, mas também por uma paixão pelo que ambas criavam. "O comprometimento com o trabalho era muito forte e acho que no fim a Elisabeth escreve sua saída do relacionamento", disse Otto.

Lucy Barreto conheceu pessoalmente o casal e até almoçou com elas na casa que Lota havia construído e onde se passa parte do filme. "Era muito especial e intenso ver essas duas mulheres juntas. Elas se comunicavam através de olhares e gestos. Era um amor da maturidade, pois elas já tinham 40 anos quando se conheceram. Acredito que elas teriam ficado juntas caso Lota não tivesse morrido", completou a produtora.

Brasilien Rio de Janeiro

A poetisa americana aflora com o choque cultural e a espontaneidade do povo brasileiro

Almejando a lua

O filme é quase inteiramente falado em inglês, idioma na qual Elisabeth e Lota se comunicavam e tem o título oficial de Reaching for the moon (almejando a lua, na tradução do inglês). "A impossibilidade de um amor entre duas mulheres tão comprometidas com o que faziam: por isso eu gosto do título Reaching for the moon, pois remete a essa excelência que ambas almejavam", disse Bruno Barreto.

Para o diretor, o maior desafio foi contar essa história complexa de uma maneira acessível, sem perder a riqueza e a essência das personagens. Uma escolha que deixou a direção convencional e com alguns clichês, principalmente nas cenas de sexo, e no abuso da trilha sonora.

O ponto alto do filme são as atrizes, com destaque para Otto, que faz uma atormentada, mas coesa Bishop, que aflora com o choque cultural e a espontaniedade do Brasil, mesmo que achando a felicidade dos brasileiros, as vezes, insuportável, como ela mesma diz no filme.

Um ponto ousado da produção é contar uma história de amor entre duas mulheres num filme com um orçamento de 6,5 milhões de dólares. Você nunca disse eu te amo tem previsão de estreia no Brasil no dia 24 de maio.

"Tivemos uma sessão para testar a reação do público. O que mais chocou foi ver a Gloria Pires, uma das maiores estrelas do Brasil, beijando apaixonadamente outra mulher na tela. Mas acho que, no decorrer do filmes, eles se acostumaram. Estou curioso para saber o que vai acontecer quando o filme entrar em cartaz", concluiu o diretor.

Autor: Marco Sanchez
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais