Global Media Forum debate papel da mídia no câmbio climático | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 17.06.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Global Media Forum debate papel da mídia no câmbio climático

Como a imprensa lida com as mudanças climáticas? Encontrar respostas para esta pergunta é um dos objetivos do Global Media Forum, que a Deutsche Welle realiza de 21 a 23 de junho em Bonn.

default

Felix Finkbeiner, de 12 anos, dá palestra sobre o clima

De 21 a 23 de junho, em Bonn, a Deutsche Welle organiza mais uma edição do Global Media Forum. Neste ano, produtores e usuários de conteúdo midiático se encontram com ativistas do clima, pacifistas, cientistas, industriais e políticos para discutir o papel da mídia no contexto das mudanças climáticas.

Plant-for-the-Planet

'Plante pelo planeta': Felix luta para plantar árvores em todo o mundo

Mas preocupar-se com o meio ambiente não é tarefa só de adultos, como mostra o jovem Felix Finkbeiner, de 12 anos, que estará presente na abertura do evento. Felix já esteve em Bonn no início de maio, quando a cidade recebeu 45 ministros do Meio Ambiente de diversos países do mundo para uma conferência sobre o clima.

Do lado de fora do Hotel Petersberg, 200 crianças representavam a campanha internacional "Plant for the planet" [plante pelo planeta]. Na Alemanha, a iniciativa já conseguiu plantar 1 milhão de árvores. Mas o objetivo é que esse número seja alcançado em todos os países do mundo.

A campanha já atua em 72 nações. A ideia surgiu há três anos, quando Felix fez uma apresentação sobre mudanças climáticas inspirado nas ações de Wangari Maathai, ativista ambiental queniana que plantou mais de 30 milhões de árvores e recebeu o Nobel da Paz em 2004.

Avião solar: projeto de Bertrand Piccard

Projeto de avião solar de Bertrand Piccard

Reflorestamento global

A abertura também contará com a presença do pioneiro da aviação solar, Bertrand Piccard, e do deputado social-democrata alemão Hermann Scheer, detentor do Prêmio Nobel Alternativo e presidente do Conselho Mundial de Energias Renováveis.

Para Scheer, a chave do combate às mudanças climáticas não é apenas desenvolver novas formas de produção de energia, mas também retirar o excedente de gás carbônico da atmosfera. E só um programa global de reflorestamento daria conta dessa tarefa.

Não será tão grave assim

Também uma mudança de consciência é urgente. É o que disseram 13 mil pessoas de 18 países que participaram de uma enquete realizada pelo instituto de pesquisa de mercado Synovate em cooperação com a Deutsche Welle (DW).

Para o diretor-geral da DW, Erik Bettermann, é preocupante o aumento do número de pessoas que acreditam que as consequências da mudança climática não serão tão graves assim. De 4% do total de entrevistados em 2008, esse número mais que dobrou, chegando a 9%.

Uma das tarefas do Global Media Forum é avaliar as possíveis causas que levam a tal pensamento, com a ajuda do repórter e psicoterapeuta Mark Brayne. "Se alguém transformou carvão em energia a vida inteira, será para ele um problema psicológico dedicar-se, em idade avançada, à energia solar ou eólica", resume Ralf-Werner Nolting, diretor da Deutsche Welle Media Services, organizadora do evento, a principal tese de Brayne.

Hermann Scheer: Pensar globalmente, agir localmente

Hermann Scheer: 'Pensar globalmente, agir localmente'

Também o jovem Felix reflete sobre os mais velhos. "Para nós crianças, o futuro significa 80 ou 90 anos. Para os adultos, significa 20, 30 ou 40 anos. E a maioria parece não compreender como nós jovens nos sentimos ao descobrir que 30 mil crianças morrem de fome a cada dia. E que este número aumenta com as alterações climáticas!", diz.

Além de plantar árvores, o garoto escreveu um livro, encontrou-se com políticos e celebridades, falou diante do Parlamento Europeu, seguindo um princípio que Hermann Scheer assim define: "Pensar globalmente, agir localmente. Isso é agir com responsabilidade global".

Autor: Matthias von Hein (lpf)
Revisão: Rodrigo Rimon

Leia mais