1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Giovane Élber festejado pela imprensa alemã

O atacante brasileiro é capa da principal revista esportiva do país e ganha meia página do jornal alemão mais prestigiado em todo o mundo.

O atacante Giovane Élber, do Bayern de Munique, recebe grande destaque da imprensa alemã esta semana. O Frankfurter Allgemeine Zeitung, o jornal alemão de maior prestígio no exterior, dedicou-lhe meia página em sua edição de domingo. Além disso, o brasileiro é capa da Kicker, a maior revista esportiva do país, merecendo o título de Der Ballermann, algo assim como "O superartilheiro". Na entrevista à revista, Élber revela o segredo de seu sucesso nesta temporada, apesar de diversas pausas forçadas. Ele teria refletido bastante sobre seus erros passados. Antes, a ênfase estava no prazer de jogar, entretanto, como profissional da bola, é preciso dar o melhor de si a cada dia. Assim, esta temporada marca sua entrada no profissionalismo 100%.

O artilheiro de 29 anos de idade confessa ainda outra mudança em sua cabeça: antes, ele reclamava demais. Sempre que jogava mal, pensava em retornar para o Brasil. Sua esposa queria viver num país mais quente, e Élber até considerou trocar os 10ºC do verão da Alemanha pelos 30ºC de Roma, por exemplo. Contudo agora ele se sente mais estável e pretende continuar com o Bayern pelo menos até o final de seu atual contrato, em 2004. Ele não exclui a possibilidade de renová-lo, porém afirma que pretende encerrar sua carreira de jogador aos 35 anos.

"Agora vem o grande problema" Élber concorda que seu time está ainda melhor do que na temporada passada. A bola corre de maneira fantástica e os gols se sucedem com grande facilidade. No entanto, para ele começa agora um grande problema.

O quadro do Bayern é grande demais, e os jogadores machucados há muito tempo começam a retornar pouco a pouco. Élber vê no sistema de rotação quase um castigo, pois obriga quem está em perfeita forma a ficar no banco de reserva. Uma grande dificuldade tanto para o técnico como para os jogadores, cujo desempenho passa a ser menos importante do que a escala estabelecida. Quase sem querer, o craque revela seu entusiasmo e ambição enormes, ao admitir: "Está certo, todo mundo precisa de uma pausa de vez em quando. Mas eu não..."