1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Gerhard Schröder consegue impor-se

Partido Social Democrata (SPD) aprova os planos de reforma do chanceler federal. Clara maioria dos delegados vota em favor da Agenda 2010.

default

Gerhard Schröder gesticula ao discursar na convenção extraordinária do SPD

Em discurso enérgico na abertura da convenção extraordinária do partido Social Democrata (SPD), neste domingo (01/06), o chanceler federal Gerhard Schröder conclamara seus correligionários a apoiarem os planos de reforma do governo. Na votação realizada à tarde, a Agenda 2010 contou com a aprovação de 90% dos 524 delegados.

Convenção a contragosto — A convocação da convenção extraordinária não foi uma decisão espontânea dos líderes social-democratas; pelo contrário, eles foram obrigados a fazê-lo, diante da rebelião da base partidária. Gerhard Schröder e o secretário-geral do SPD, Olaf Scholz, haviam esperado em vão conseguir impor o plano de reformas sem grandes debates. Não tinham contado com a resistência, sobretudo da ala esquerda, que acusa o projeto de não ser equilibrado, sobrecarregando os fracos e poupando os fortes da sociedade.

Ameaça de renúncia — O chefe de governo, por sua vez, vinculou repetidas vezes a aprovação do programa de reformas à sua pessoa, ameaçando abertamente renunciar, se o partido lhe recusasse apoio. Rejeitando inicialmente alterar uma vírgula que fosse em seu projeto, Schröder acabou concordando com algumas mudanças depois que a ala esquerda impôs a realização de uma consulta às bases do partido.

Há semanas que a Agenda 2010 é o tema mais debatido na Alemanha, tendo ocasionado várias conferências regionais extraordinárias do SPD, nas quais o chefe de governo e presidente do partido esclareceu pessoalmente os planos para a reforma da previdência e do sistema de saúde, pleiteando o apoio dos correligionários.

Ao lado da moção central, contendo a Agenda 2010, foi apresentada por fim aos delegados uma moção secundária com perspectivas, ou seja, temas a serem debatidos pelo partido no futuro e que incluem muitas das idéias da ala esquerda.

Principal obstáculo pela frente — O resultado da convenção extraordinária proporciona uma folga temporária ao chanceler Schröder. Mas ele ainda tem pela frente o obstáculo principal: o Parlamento, que vai decidir sobre a legislação para a implementação das reformas. A coalizão formada por social-democratas e verdes dispõe de uma maioria de apenas quatro votos no Bundestag. Como os parlamentares não estão vinculados à decisão dos respectivos partidos para votar, a aprovação da Agenda 2010 não é tida como certa, mesmo que a oposição tenha declarado intenção de apoiar o governo.

Leia mais