1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Gafes não abalam Donald Trump

Pesquisa aponta magnata com boa vantagem sobre rivais, como Jeb Bush, mesmo após comentário polêmico sobre apresentadora do debate da Fox News. Candidatura do empresário soma controvérsias, mas ganha cada vez mais apoio.

O magnata Donaldo Trump aparentemente saiu ileso do primeiro debate republicano e mantém uma vantagem absoluta entre os eleitores do partido. Desconfortável com as perguntas feitas a ele no evento de quinta-feira (06/08), o pré-candidato insinuou que a âncora da Fox News Megyn Kelly havia sido agressiva com ele porque estava menstruada e tinha "sangue saindo dos olhos".

Segundo uma pesquisa realizada pela Reuters/Ipsos e publicada na segunda-feira (10/08), o desempenho controverso no debate não afetou sua liderança entre os candidatos republicanos. Trump conta com o apoio de 24% dos eleitores do partido, mantendo boa vantagem sobre os concorrentes.

O rival mais próximo de Trump, o ex-governador da Flórida Jeb Bush, detém apenas 12% das intenções de voto – pouco antes do debate, pesquisas o mostravam com 17%. Nenhum outro candidato republicano recebeu mais de 8% nesta pesquisa mais recente, que foi realizada entre o debate de quinta-feira e domingo.

Alguns observadores acreditavam que a imagem de Trump seria prejudicada devido à ponderação controversa que ele fez sobre a moderadora do debate, quando ela indagou o magnata sobre seus comentários depreciativos anteriores sobre as mulheres.

"Você pode ver que havia sangue saindo dos olhos, sangue saindo... sei lá de onde", disse Trump à emissora CNN, na sexta-feira. Devido ao comentário, o pré-candidato republicano foi desconvidado de um discurso que ele deveria ter dado no sábado num evento organizado pelo influente grupo conservador RedState.

Donald Trump Megyn Kelly Debatte Republikaner Vorwahlkampf

Comentários de Donald Trump sobre a moderadora Megyn Kelly não abalaram a imagem do magnata nas pesquisas

Trump, no entanto, se recusou a pedir desculpas, afirmando ter sido mal interpretado. "Eu estimo mulheres. Eu quero ajudar as mulheres", disse o magnata numa entrevista ao programa State of the Union, da CNN.

Além disso, Trump publicou em sua conta oficial do Twitter, também na segunda-feira, que conversou com o presidente da Fox News, Roger Ailes, e que ele lhe assegurou que a emissora vai tratá-lo de forma justa.

A candidatura de Trump tem sido polêmica desde junho, quando ele entrou na corrida para a indicação republicana à eleição presidencial de 2016. Comentários sobre imigrantes mexicanos, alegando que eles estariam causando o aumento da criminalidade, causaram condenação generalizada e levaram alguns parceiros de negócios a cortarem os laços com Trump.

Além disso, ao questionar a carreira militar do senador e herói de guerra John McCain, candidato republicano à Casa Branca em 2008, Trump provocou a ira de alguns integrantes do partido.

Porém, até então, as polêmicas pouco prejudicaram o apreço por Trump entre os eleitores menos favorecidos e com tendência conservadora, que dizem que seu estilo ousado é necessário para sacudir o excessivamente cauteloso sistema político e que a sua fortuna vai ajudá-lo a resistir às influências corruptoras.

PV/rtr/afp

Leia mais